14.01.2011 | 10h57


POLÍCIA

Sindicato alega que não foi notificado e mantém paralisação em VG

ROBERTA DE CÁSSIA   10h26
DA REDAÇÃO

"Ainda não fomos notificados oficialmente sobre a decisão da justiça sobre o retorno dos médicos em Várzea Grande", afirma Renata Batista, advogada do Sindicato dos Médicos-Sindimed.

A liminar foi concedida pelo juiz de Direito, Gilberto Giraldelli, no dia 11 de janeiro. A decisão obriga o retorno imediato ao trabalho, de pelo menos 60% dos médicos, não só no Pronto Socorro, mas nos postos de saúde e centro de especialidades médicas, da rede pública municipal de Várzea Grande. A multa diária é de R$ 10 mil por não cumprimento da liminar.

Segundo Renata, o Sindimed está mantendo a urgência e emergência do Pronto Socorro de Várzea Grande funcionando 100%. Os serviços ambulatoriais estão totalmente paralisados. "Os médicos reivindicam melhores condições de trabalho, já que faltam desde materiais simples como esparadrapo até aparelhos para fazer exames. A categoria também quer o pagamento dos salários do mês de novembro e a verba indenizatória que eles têm direito do mês de outubro", completou Renata.

Enquanto o Sindimed aguarda ser notificada, a população várzea-grandense vive um verdadeiro caos na saúde. A greve já dura mais de um mês.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO