17.06.2010 | 10h58


POLÍCIA

Servidores do TJ não chegam a acordo e permanecem em greve



Depois de quase três horas de reunião com o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador José Silvério, os servidores do judiciário decidiram manter a greve. “Enquanto não tivermos nada de concreto não vamos voltar a trabalhar”, disse o presidente do Sindicato dos Servidores do Judiciário (Sinjusmat), Rosenwal Rodrigues.

Silvério solicitou a reunião para apresentar aos servidores a planilha de gastos do TJMT e demonstrar que não existem condições de realizar pagamentos não previstos. Porém os grevistas apresentaram sugestões para que se faça uma redistribuição dos gastos, como a redução do salário dos cargos comissionados bem como a diminuição em20% no número de contratações, a suspensão imediata do concurso de juiz e o fechamento das comarcas novas.

Como tentativa de solucionar o embate ficou acordado que uma “força tarefa” que irá recorrer ao Governo do Estado na tentativa de solucionar à problemática, que já se estende por mais de dois meses. Em um primeiro momento o sindicato e a Ordem já haviam procurado o governador Silval Barbosa (PMDB), porém ainda não obtiveram resposta.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO