23.03.2020 | 14h58


POLÍCIA / EM CANA

PM prende quatro por desobedecerem ordem de quarentena em MT

No total foram registradas 73 ocorrências por desobediência às medidas restritivas do Governo do Estado



Polícia Militar já dispersou 54 aglomerações, fechou 19 estabelecimentos comerciais, principalmente bares que não estavam respeitando a lotação máxima de 50%, alé, do distanciamento de 1,5 metro. As ações são realizadas desde sexta-feira (20), quando entrou em vigor o decreto do governo estadual (419/20) estabelecendo medidas restritivas e prevenção à propagação do coronavírus.

As operações também conduziram quatro pessoas às delegacias por descumprimento das determinações legais. Mas a PM também contabilizou 50 ocorrências com orientações que evitaram aglomerações.

No total foram 73 ocorrências por desobediências ao decreto. O maior número de intervenções para dispersar pessoas foi registrado em Cuiabá. Na Capital foram registrados quatro casos, segundo relatório da Superintendência de Planejamento Operacional da Polícia Militar e Estatísticas (SPOE).

Em outras cidades do interior como Rondonópolis, Jaciara, Sapezal e Nobres os policiais atuaram em três ocorrências de aglomerações, em cada uma delas. Além de bares, a PM interviu em festas de aniversário e de casamento, encontros em áreas de lazer de condomínios, partidas de futebol, entre outros eventos públicos e privados.

Subchefe de Estado Maior da Polícia Militar, coronel Wankley Correa Rodrigues destaca que a PM está presente nos 141 municípios e todos os distritos mato-grossenses fazendo o patrulhamento nas ruas, orientando a população e atuando em apoio aos órgãos de defesa do consumidor (Procon), de Saúde e Vigilância Sanitária para fazer cumprir as medidas de prevenção ao coronavírus.

“O objetivo é que a população se conscientize, que não seja necessária a adoção de medidas extremas como o fechamento de estabelecimentos comerciais e condução de pessoas a delegacias. Todavia, em caso de necessidade, como já ocorreu, vamos continuar agindo como forma de prevenir a propagação do coronavírus”, diz.

Rodrigues, que coordena as operações no âmbito da PM, observa que, de acordo com o que preconiza as instituições e especialistas em saúde pública, o isolamento social é o “remédio” mais eficaz neste momento de crise, de pandemia da Covid-19.  “Não estamos em uma situação normal em que podemos sair de casa e circular normalmente pelas ruas”, reforça.

Aos policiais militares que estão nas ruas, que tiveram férias e folgas suspensas para trabalhar nesse momento de emergência social, Rodrigues agradece o empenho. “Parabéns, o trabalho de vocês é fundamental, um ato humanitário, de coragem e respeito em defesa da saúde e segurança da sociedade. Também queremos que tomem os cuidados necessários para a proteção própria e de suas famílias”, completa.

 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Luiz Goncalo  23.03.20 21h11
Se trabalhando a população não consegue honrar todos os compromissos financeiros assumidos, imaginem em quarentena, essa firma de cobrança, quer receber dinheiro. Neste caso a PM agiu certíssima, tem que engaiolar esses usurários.

Responder

2
0

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO