12.12.2010 | 22h01


POLÍCIA

PM prende quadrilha que aplicava golpe em terminais de banco em Cuiabá

ANDRÉ MICHELLS
DA REDAÇÃO


Homens do 1º Batalhão de Polícia Militar de Mato Grosso (1ºBPM) prenderam neste domingo uma quadrilha que aplicava o golpe conhecido como “chupa-cabra”, em caixas eletrônicos de bancos da Capital. Clenivaldo Dantas Oliveira e Edilson Alexandre de Mello foram presos quando tentavam instalar o dispositivo de furto de dados e aplicar o golpe em uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF). Outros três integrantes do bando estão foragidos, mas a polícia já tem os nomes. Marcos Nogueira de Oliveira, Leonel Moreira Martins e Thiago Silva Gomes.

Tudo começou por volta das 10h da manhã, quando a central de monitoramento da Caixa Econômica Federal, em Brasília, detectou atitudes suspeitas dentro da agência que fica na Avenida Fernando Correa, próximo ao trevo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

De acordo com informações do tenente Gahyva, que comandou a operação, a central de Brasília acionou a empresa de segurança Fort Sul, que presta o serviço para o banco. Um funcionário da empresa avistou Clenivaldo na calçada. Como a descrição batia com a que fora passada por Brasília, a polícia militar foi chamada.

Quando a PM chegou, Clenivaldo já havia fugido, mas cometeu o erro de tentar voltar ao local do crime. “O suspeito foi avistado nas imediações, do outro lado da avenida e a guarnição efetuou a prisão”, informou o tenente.

Segundo a polícia, ao ser detido, Clenivaldo entregou os comparsas, que estavam hospedados em três quartos do Hotel Bandeirantes, no bairro de mesmo nome, próximo ao centro da cidade. Os militares fizeram uma varredura nos quartos e encontraram vários apetrechos para confecção dos aparelhos usados nos golpes, como ferro de solda, cola quente, adesivos dupla face e celular desmontado. O segundo bandido foi preso porque voltou ao hotel para encerrar a conta do quarto. O gerente acionou a PM, que realizou a prisão em seguida.

Por ser banco federal, os dois presos foram levados para a sede da Polícia Federal (PF), em Cuiabá que, posteriormente encaminhou os comparsas para a Cadeia do Carumbé. A idade dos bandidos não foi informada, mas sabe-se que Edilson já possui cerca de 60 anos e é chamado de tiozinho dentro da quadrilha.

O GOLPE


O golpe é aplicado através de terminais de caixas eletrônicos, sem maçarico ou violência. Usando de uma tecnologia improvisada, mas eficaz, o crime acontece quando o cliente do banco realiza qualquer operação no terminal, com uso de cartão e senha.

Os bandidos deixam instalado o dispositivo que “rouba” dos dados da tarja magnética do cartão quando ele é colocado na máquina, outro dispositivo, composto pela câmera do celular, registra em vídeo a senha que é digitada. De posse dos dados, os bandidos fazem saques na conta da vítima, que só percebe dias depois.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO