04.02.2011 | 14h47


POLÍCIA

PM atende a denúncia de agressão e descobre laboratório de DVDs piratas

DA REDAÇÃO      14h23

Policiais do 4º Batalhão da Polícia Militar foram atender a uma ocorrência tipificada pela Lei Maria da Penha em Várzea Grande e descobriram que a residência do acusado de agressão era utilizada como laboratório para a gravação de CDs e DVDs piratas. Foi à própria esposa do acusado, vítima das agressões, que denunciou o falsificador.

Nesse momento o dono do laboratório está sendo conduzido para o Centro Integrado de Segurança e Cidadania Parque do Lago para ser ouvido pelo delegado, juntamente com a esposa que fez a denúncia.

Além de ser enquadrado na Lei Maria da Penha (pena de 3 meses a 3 anos de reclusão), caso a esposa registre a queixa, o responsável pela reprodução dos DVDs (com intuito de lucro) pode responder processo baseado no Artigo 184 do Código Penal (Violação de Direitos Autoral), que prevê prisão de 2 a 4 anos, e multa.

A residência usada para a pirataria fica próxima a Construmat, na Rua Leopoldino Procópio, 447. De acordo com policiais que estão no local, é muito grande a quantidade de produtos falsificados encontradas no laboratório e que são distribuídos nas ruas de Várzea Grande e em Cuiabá. Segundo um tenente que participa da operação, que teve o apoio de quatro viaturas, no local existem vários equipamentos - centrais de reprodução - usados para fazer a pirataria.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO