24.06.2020 | 09h43


POLÍCIA / DESDOBRAMENTO DA CURUPIRA

PF desarticula organização criminosa envolvida com caça e pesca ilegal

Operação Dia da Caça cumpre 11 mandados de busca e apreensão e 11 de intimação policial em várias cidades nos arredores do rio Tocantins


DA REDAÇÃO

A Polícia Federal (PF) deflagrou, no início da manhã desta quarta-feira (24) a operação Dia da Caça com objetivo de desarticular associação criminosa voltada para caça e pesca ilegal no Rio Tocantins nos estados de Mato Grosso, Tocantins e São Paulo.

Cinquenta policiais federais, com apoio do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente), cumprem 11 mandados de busca e apreensão e ainda 11 mandados de intimação policial em várias cidades nos arredores do rio, expedidos pela 4ª Vara da Justiça Federal de Palmas.

A operação Dia da Caça é um desdobramento da operação Curupira, deflagrada em fevereiro de 2018, a qual identificou 15 envolvidos nos referidos crimes ambientais, resultando na prisão de alguns deles e na apreensão de 350 quilos de pescado, armas, petrechos e até restos de animais mortos.

Nesta nova fase, busca-se apurar a participação de outros envolvidos nos crimes contra a fauna, especialmente a caça de animais silvestres e pesca no período de defeso, mediante utilização de armas de fogo clandestinas e outros apetrechos.

Os investigados poderão responder por crimes contra a fauna, associação criminosa e posse ou porte ilegais de arma de fogo, cujas penas somadas alcançam 13 anos de prisão. 

O nome da operação Dia da Caça faz referência à principal modalidade de crime investigado:  caça ilegal.  

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia da covid-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO