24.09.2010 | 10h56


POLÍCIA

Ousadia: gangues ameaçam até a PM no bairro Dom Aquino



Tania Rauber
Da Redação

Traficantes fizeram ameaças ao Comando da Polícia Militar durante a fase de implantação do Batalhão da Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) no bairro Dom Aquino. A "área" seria controlada por 4 gangues (Aldeia, Copagaz, Morro e Brejinho) que aterrorizam os moradores. A revelação foi feita pelo comandante geral da PM, coronel Osmar Lino Farias, durante a inauguração da nova sede do batalhão. "Recebemos mensagens via celular dizendo que traficantes do Dom Aquino estavam se mobilizando para impedir que a Rotam se instalasse no bairro. Porém, não nos intimidamos e hoje o batalhão está com sua sede pronta".

Desde que voltou a atuar em Cuiabá, em abril deste ano, depois de ficar quase 1 ano desativada, a Rotam cumpriu 69 mandados de busca e apreensão, realizou 76 apreensões de armas de fogo, 81 ações de combate ao tráfico de drogas e conduziu 421 pessoas à Polícia Civil por diversos delitos. Somente no bairro Dom Aquino, foram 80 ações em bocas-de-fumo.

Um dos principais fatores para a retomada do serviço, segundo o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado, é a preparação de Mato Grosso para a Copa de 2014. "Esta era uma das nossas metas do Programa de Ação de Segurança que reúne um pacote de medidas que visa preparar o setor de segurança pública para a Copa".

O batalhão conta com um efetivo de 133 policiais e está sob o comando do tenente-coronel Airton Benedito de Siqueira Júnior. "A tropa foi formada por PMs voluntários. Todos foram avaliados, para saber se tinham condições de integrar o grupo, e passam por capacitações periodicamente".

Entre as principais metas, segundo ele, está o combate ao tráfico de drogas e aos roubos. "Vamos atuar em toda a Baixada Cuiabana e em qualquer região do Estado onde for necessária a nossa presença".

A inauguração da nova sede da Rotam foi acompanhada por vários moradores do bairro Dom Aquino. Entre eles estava Ilda Marlene da Silva Lima, 45. Ela destacou que tem medo de deixar os netos sair para a rua sozinhos, porque nunca sabe o que pode acontecer. "A gente não fica tranquila. Agora, esperamos que a situação melhore e tenhamos mais segurança".

A briga entre gangues no bairro Dom Aquino já resultou em várias tragédias. Em março de 2009, a menina Ana Carolina Nunes de Lima Silva, 2, morreu após ser atingida por um disparo de arma de fogo durante um tiroteio entre gangues. O mesmo grupo voltou a ferir duas pessoas este ano.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO