05.02.2020 | 16h45


POLÍCIA / DENUNCIADA POR 5 CRIMES

Mulher mente que foi espancada, roubada e estuprada por PMs para não ser presa

Acusada foi detida pelos policiais durante uma briga com o marido no bairro Jardim Oasis, em Rondonópolis


DA REDAÇÃO

Uma mulher de 36 anos, identificada apenas como Ronicleia, foi presa no início da tarde desta quarta-feira (05) após mentir e acusar falsamente policiais militares por crimes de lesão corporal, roubo e estupro durante intervenção da PM na casa da acusada, onde ela e o marido, de 34 anos, estavam bebendo e se agredindo.

 O caso foi registrado no bairro Jardim Oasis, em Rondonópolis (212 km da Capital).

De acordo com ocorrência, a Polícia Militar (PM) foi acionada por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) para comparecer ao endereço do casal e intervir na briga para evitar um mal maior, já que os dois estavam bebendo e se agredindo fisicamente.

No local, os militares flagraram o casal discutindo e se batendo, quando adentraram a residência e mandaram o marido da acusada colocar as mãos na cabeça, o que foi obedecido prontamente.

Ronicleia sentou em uma mureta, mas os policiais deram ordem a ela para que se levantasse e verificar se ela estava escondendo uma arma de fogo ou uma faca, porém, a mulher desobedeceu, quando foi repetida a ordem por diversas vezes e a acusada continuou a desobedecer.

Para fazer a revista na mulher, os policiais precisaram usar de força física para imobilizá-la, momento em que ela começou a xingar a guarnição e agredir os policiais.

O marido da acusada relatou aos militares que chegou em casa do trabalho às 07h, quando encontrou a mulher bebendo e começou a beber junto. Em determinado momento começaram a discutir e se agredirem fisicamente.

Versão confirmada por uma mulher que estava na casa junto ao casal, que ressaltou que os dois já estavam brigando há horas.

O casal foi detido e encaminhado à delegacia, em viaturas separadas, para maiores esclarecimentos sobre o caso.

Durante o trajeto, Ronicleia continuou a xingar e ameaçar os policiais. Repetia que iria processar, afirmando falsamente que havia sido espancada pelos militares. Momento em que ameaçou que denunciar na delegacia que os policiais desviaram o caminho e a estupraram.

Na unidade policial, a acusada reafirmou todas essas acusações e ainda acrescentou que o celular dela havia sido roubado pela guarnição.

Rocicleia, que tentou resistir à prisão, precisou ser algemada. O marido foi conduzido sem algemas. Os dois chegaram à delegacia com escoriações pelo corpo devido às agressões trocadas entre eles.

O casal foi ouvido pelo delegado e ficaram detidos na unidade policial aguardando os procedimentos cabíveis ao caso.

Ronicleia foi acusada pelos crimes de desobediência à ordem policial, resistência à prisão, desacato à autoridade, vias de fato e falsa comunicação de crime ou contravenção.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO