16.08.2010 | 09h34


Mulher é presa com celulares e droga escondidos em comida para presidiário



Uma grande quantidade de droga e telefones celulares apreendidos com uma mulher surpreendeu a polícia hoje. A droga e os aparelhos de telefone seriam levados para dentro do presídio Pascoal Ramos, na capital. Segundo a polícia, foram apreendidos cerca de cinco quilos de droga. Cerca de dois quilos de maconha estavam com a mulher no momento da prisão, em uma das ruas da capital, e outros 3,2 quilos foram apreendidos na casa onde a suspeita morava no bairro Jardim Leblon. Entre a droga apreendida também estão 226 gramas de pasta base de cocaína. Com Valdinete Oliveira Silva (29) foram apreendidos ainda 31 aparelhos de telefone celular, vários chips e carregadores. A mulher também carregava em várias sacolas, litros de cachaça, wiski e latas de cerveja. O fato mais curioso é que tudo isso estava escondido no meio da comida que a suspeita tentaria levar para dentro do presídio. A polícia não informou se a mulher é parente ou esposa de algum detento. Disse apenas que a investigação ainda está em andamento e outras pessoas devem ser presas. Policiais do 9º Batalhão da Polícia Militar já estavam investigando a mulher há algum tempo. Na manhã deste domingo (15) Valdinete saiu de casa, no bairro Jardim Leblon na capital, com três grandes bolsas de plástico após chamar um mototáxi. Policiais seguiram a mulher. Ela desconfiou que estava sendo seguida e tentou despistar a polícia. Os Policiais Militares então aboradaram a mulher e fizeram uma revista nas sacolas. O resultado impressionou. Dentro de vários potes de plástico cheios de arroz, macarrão e outros alimentos, os policiais encontaram os 31 celulares, váris chips, latas de creveja e mais de dois quilos de maconha. Em seguida a polícia foi até a casa de Valdinete. Mais três quilos de maconha estavam escondidos no local, além de 226 gramas de pasta base de cocaína. Foram apreendidas também garrafas de água que na realidade estavam cheias de pinga. Já as garrafas pet de guaraná estavam abastecidas com wiski de primeira qualidade. Valdinete Oliveira Silva foi autuada em flagrante e deve ser encaminhada para o presídio feminino. A polícia ainda procura uma segunda mulher identificada como Valdirene Oliveira Silva que estava na casa, mas escapou com a chegada da polícia. Há outros suspeitos de envolvimento no caso, mas os nomes não foram divulgados.










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER