12.03.2020 | 18h25


POLÍCIA / INIMIGO ÍNTIMO

Mulher é morta a facadas após se recusar buscar cerveja para o marido

Um homem de 25 anos, que tentou salvar a mulher, foi atingido por três golpes de faca e ficou em estado grave. Uma jovem de 25 anos, que também tentou ajudar, foi ferida na perna, mas não corre risco de morte.


DA REDAÇÃO

Renata Oscar de Castro, 28 anos, foi assassinada a facadas pelo marido, Petrônio Aziano da Silva, 47 anos, dentro de um bar, localizado no bairro Setor F, em Querência (945 km da Capital), pelo simples fato da vítima se negar a buscar uma cerveja para o acusado durante a madrugada dessa quarta-feira (11).

Duas outras pessoas, sendo uma jovem de 25 anos e um homem de 44, que tentaram salvar Renata, também foram atacadas pelo agressor e atingidas por golpes de faca.

Renata e o homem que tentou defender foram atingidos por três facadas cada um. Eles foram encaminhados por testemunhas ao hospital municipal, onde ambos foram levados direto para o centro cirúrgico devido à gravidade e risco de morte das vítimas.

Renata não resistiu e morreu durante o procedimento. Já a segunda vítima passou pela cirurgia, mas continua em estado grave e segue internado.

A jovem foi ferida por um golpe na perna direita, mas ficou no estabelecimento até a chegada da Polícia Militar (PM). A vítima relatou todos os acontecimentos e foi levada ao hospital pelos militares.

De acordo com a ocorrência, por volta das 01h30, Petrônio teria pedido que a esposa se levantasse e fosse ao balcão do bar buscar uma cerveja para ele, porém, a mulher teria se recusado. O acusado teria ficado extremamente nervoso e os dois teriam começado uma discussão no meio do bar, em frente a outros clientes.

Em determinado momento, quando a discussão parecia ter acabado, o acusado se levantou, passou pelo balcão, se armou com uma faca e partiu para cima de Renata.

Após atingir a mulher pela terceira vez, um homem tentou segurar Petrônio, que se virou e deu três facadas na sua segunda vítima. Nesse momento a jovem tentou intervir e foi atingida na perna.

Após o atentado Petrônio fugiu. A PM fez buscas pela região, mas não conseguiu localizar o assassino.

A ocorrência, registrada por crime de feminicídio e dupla tentativa de homicídio, foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, responsável por investigar o crime e buscar pelo paradeiro de Petrônio.

Na unidade policial, após consulta da identidade do assassino no banco de dados da Justiça foi verificado que Petrônio tem diversas passagens criminais por crimes de lesão corporal, ameaça e dano, na maioria dos casos a vítima era Renata.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Lorena Oscar Roseno  13.03.20 12h23
A vítima Renata Oscar de Castro, tinha 5 filhos com o assassino Petrônio Aziano da Silva, as 5 crianças haviam sido tiradas da mãe há um ano, pois a mesma estava envolvida com drogas e as crianças estavam em situação de risco. As crianças estão sendo cuidadas por membros da família de Renata. A filha mais velha (14 anos) relata que o pai sempre agredia a mãe, e que ela mesma já teria entrado na frente do pai para que o mesmo não esfaqueace a mãe em outra ocasião. O pai (Petronio) sempre ameaçava Renata, e dizia que ia matá-la, depois mataria os 5 filhos e depois se mataria. A família toda está em choque pois Renata estava trabalhando porque queria recuperar os filhos e foi assassinada brutalmente. E as crianças tem medo que o pai as encontre e tente alguma coisa. Meu nome é Lorena, prima da vítima e estou na justiça pra conseguir a guarda de dois, dos 5 filhos de Renata. As crianças que estão comigo tem 4 anos (o menino) e 5 anos (a menina). O menino de 9 anos está com uma prima, e a menina de 14 anos e o menino de 12 anos estão com uma tia. Queremos justiça e o mais importante, segurança.

Responder

10
0
Jaqueline Padua  14.03.20 23h33
Esse vagabundo tem q morrer...conheço algumas parentes dela...

Responder

3
0
Naiara Vicente cavalcante  15.03.20 07h11
Eu conheci o casal. E quando os conheci o pai de Renata ainda era vivo, Renata trabalhava muito, ela dava faxina em 2 casas vendia perfumes e se virava como podia. Após seu pai falecer foi quando ela começou a se envolver com drogas. Mais isso nunk diminuiu a boa pessoa que Renata foi. Ela era uma incrível amiga, prestativa. Põe enumeras vezes cuidou da minha irmã (que era sua amiga). Petrônio sempre a teve como um objeto dele, mesmo Renata não querendo ele , ele sempre insistia. Ela tentou muito largar dele, até de cidade mudava e ele ia atraz. Agora vez isso, conversei com os familiares dele. Todos esperam q ele seja pego, e pague como tiver que pagar pelo que fez. Lamento profundamente, e que ele seja pego logo. E pague pelo q fez. E que seja dente por dente.

Responder

1
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO