10.11.2010 | 12h43


POLÍCIA

Mulher de 52 anos morre esmagada por ônibus na Avenida Mato Grosso

MIRO FERRAZ
DA REDAÇÃO

O caótico trânsito da Capital fez mais uma vítima fatal na noite desta quarta-feira (10).  A tragédia aconteceu no cruzamento da Avenida Mato Grosso com Marechal Deodoro. Arlete Augusto Nazário, de 52 anos, voltava do trabalho, em um consultório médico nas imediações, quando, ao atravessar a avenida, fora da faixa, foi atropelada por um microônibus, placas NPF 8279, número 076, da empresa Vai Vem Lotação.  

O motorista, que não teve nome divulgado, foi levado para a Central de Flagrante pela Polícia Militar, no bairro Planalto, logo após o acidente. Populares ameaçaram a linchar o motorista que, por segurança, foi retirado do local.

Segundo as informações da PM o ônibus passou por cima da cabeça de Arlete, que morreu na hora. A Polícia Técnica (Politec) demorou cerca de 2 horas para realizar a perícia e retirar o corpo do local, que ficou tomado por populares curiosos. O acidente ocorreu por volta das 19h e o corpo da vítima só foi retirado da avenida às 21h30.

Conforme informações do irmão da vítima, cinegrafista Antônio Carlos Nazário, de 42 anos, que trabalha na Assembleia Legislativa, Arlete morava com a mãe e a filha em uma casa no bairro Santa Helena, próximo ao local do acidente. “Ela estava voltando do trabalho, como de costume; é a segunda irmã minha que morre este ano. A outra morreu de câncer. Minha mãe ainda não sabe da Arlete, não sei nem como contar para ela”, comentava emocionado.

O chefe do Ciretran de Rondonópolis, Carlos Antônio Nazaro, também é irmão de Arlete. Ironicamente, Nazário desenvolve na cidade, intenso trabalho de educação para o trânsito.

A equipe do REPÓRTER MT  foi quem avisou Carlos sobre a morte da irmã. Nazário informou que estaria se deslocando ainda hoje para Cuiabá para auxiliar a família e tomar as providências necessárias para o velório e sepultamento do corpo de Arlete, que foi levado para o Instituto Médico Legal de Cuiabá e deve ser liberado, segundo a perícia, ainda hoje.

Arlete Nazário atravessava a Avenida sozinha no momento do acidente. Ela deixa uma filha e uma neta.

Confira mais fotos:






ATUALIZAÇÃO

O motorista do micro-ônibus que atropelou Arlete se chama Lander Divino Nascimento, 37. Ele foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção) e vai responder ao processo em liberdade.

A vítima, Arlete Augusta Nazária, 51, teve a cabeça esmagada pelos pneus traseiros do veículo. Em depoimento, o motorista afirmou que estava parado no semáforo, quando o equipamento mudou para o sinal verde. Ele saiu com o veículo e ouviu um barulho. Parou o micro-ônibus e viu que havia uma pessoa caída. O motorista acionou o Serviço Móvel de Urgência (Samu), mas a mulher já estava morta. Lander trabalha há 8 anos como motorista e há 3 está na empresa de transporte público.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO