16.05.2019 | 15h44


PENSÃO DE R$ 200

Mulher ataca advogada de ex e é agredida por PM com soco na boca

A situação aconteceu no Fórum de Cuiabá. Vítima surtou após não concordar com valor baixo de pensão. PM mentiu sobre agressão no b.o.


DA REDAÇÃO

Uma mulher de 34 anos denuncia ter sido agredida por policiais militares e ferida com um soco na boca, em frente ao Fórum de Cuiabá, na tarde da última terça-feira (14). A situação foi presenciada pelo advogado Waldir Caldas, que passou a fazer a defesa da vítima e confirmou o caso ao .

O caso teria ocorrido após uma audiência em que a mulher cobrava do ex-marido o pagamento de pensão aos dois filhos do casal.

Ao , o advogado afirmou que a mulher foi vítima de uma ‘tremenda injustiça’. Ele conta que ela se revoltou após o ex-marido, com quem foi casada por cinco anos, oferecer apenas R$ 200 de pensão. A mulher teria se descontrolado e a polícia foi chamada para intervir.

“Ela foi para a audiência com uma ação de despejo nas mãos e deixou os filhos em casa passando fome. Ela realmente surtou após a audiência, pois não aceitou o baixo valor oferecido pelo ex-marido”, disse o advogado.

A confusão acontecia no estacionamento do Fórum, envolvendo a mãe das crianças, o ex-marido e a advogada que faz a defesa dele. 

“Um policial deu um soco na boca dela, que resultou em oito pontos no local. O pior, é que ela ainda foi presa e no boletim de ocorrência os policiais registraram que ela teria caído no chão, e por isso se machucou”, relata Caldas.

Waldir, que foi candidato a senador pelo partido Novo nas últimas eleições, afirmou ao , na tarde desta quinta-feira (16), que vai assumir todos os processos da mulher, de forma gratuita.

“Consegui a identificação dos policiais envolvidos na ocorrência e, inclusive, do policial que deu o soco na vítima. Vamos registrar um boletim de ocorrência contra eles e ir até o fim. Eles que se preparem, pois vem chumbo grosso pela frente”, afirmou Caldas.

Outro lado

De acordo com o boletim de ocorrência, feito pelos policiais, a equipe foi acionada para intervir em uma confusão no estacionamento, onde a mãe das crianças não deixava a advogada do ex-marido sair do local em seu carro.

Os PMs afirmaram que a mulher desobedeceu as ordens para se afastar do veículo da advogada, resistiu à prisão e caiu no chão. A queda teria ocasionado o ferimento na boca dela, conforme o boletim de ocorrência.

Em depoimento na delegacia, após ter sido presa, a mulher confirmou ter dado dois socos no carro da advogada, porque “ela teria debochado de sua cara”. Também confirmou ter se exaltado e xingado os policiais, porém, desmentiu a queda, alegando que o ferimento foi ocasionado por um tapa ou soco.

O entrou em contato com a Polícia Militar, que respondeu, via assessoria, que: “A Corregedoria da Polícia Militar não recebeu denúncia referente a essa ocorrência, porém já está levantando documentos e solicitando informações junto à Coordenadoria Militar do Tribunal de Justiça para adoção das medidas necessárias à apuração da conduta do policial militar”.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

paulo roberto  17.05.19 20h01
Duvido que esse policial machão, faria isso com um traficante de médio porte.....Duvido!!!

Responder

1
2
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER