03.06.2019 | 09h09


ABSURDO

Mulher acerta soco e afunda cabeça de recém-nascida em Cuiabá

A desavença da agressora era com a mãe da bebê, que foi levar a filha para conhecer o pai biológico.


DA REDAÇÃO

Maria Auxiliadora Souza Amorim, 31 anos, foi presa pela PM após acertar um soco na cabeça de uma menina recém-nascida e afundar a ‘moleira’ da bebê. O crime aconteceu na noite de domingo (02), no bairro São Matheus, em Cuiabá.

A Polícia Militar foi acionada pela mãe da bebê. Ela disse que havia levado a criança para visitar o pai biológico e foi atacada pela mulher no momento que saía do local.

Segundo a vítima, Maria auxiliadora é tia da ex-mulher do pai da criança. As tuas teriam uma desavença.

Segundo o boletim de ocorrência, Maria começou a agredir a vítima com vários socos e um deles atingiu a recém-nascida.

A mãe conta que procurou tratar da filha em casa após ver o afundamento na cabeça dela, mas decidiu chamar a polícia pois a criança não parava de chorar.

A PM passou a fazer rondas na região onde a agressão aconteceu e localizou Maria Auxiliadora em um bar.

Ela confessou o crime, mas disse que agiu por impulso e não tinha intenção de atingir o bebê. Segundo a agressora, ela e a mãe da criança tinham desavenças do passado.

Na Central de Flagrantes, Maria apresentava escoriações no ombro e um arranhão perto de um dos olhos. Ela disse que o causador dos ferimentos é o pai da criança atingida por ela.

A recém-nascida foi encaminhada ao Pronto-Socorro por uma avó e permaneceu em observação médica.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER