alexametrics
11.01.2011 | 10h36


POLÍCIA

MPE pede arquivamento do caso Eiko Uemura

ROBERTA DE CÁSSIA   10h30
DA REDAÇÃO

Embora tudo apontasse para homicídio, o promotor de Chapada dos Guimarães César Danilo Novais do Ministério Público Estadual divulgou em laudo que a estudante Eiko Uemura cometeu suicídio e pediu arquivamento do caso.

Conforme o laudo toxicológico, ela ingeriu algo, que poderia ser cocaína, ou alguma droga para dar coragem de cometer o suicídio.

Uma amiga da jovem disse em depoimento que Eiko vivia tomando remédios para emagrecer, pois se achava gordinha.
Outra constatação de suicídio seria o laudo das vestes de Eiko que não mostraram vestígios de luta corpórea.
De posse desses laudos, o Ministério Público descartou que o namorado, o advogado Sebastião Carlos teria atirado a jovem no precipício, visto que mantinha uma relação extra-conjugal com ela.

A polícia avaliou que mortes por precipitação são comuns as mulheres. As lesões encotradas no corpo de Eiko foram causadas pela queda e pelas batidas em árvores, pedras encontradas pelo caminho até chegar ao solo no Portão do Inferno em Chapada dos Guimarães.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime