21.10.2010 | 20h48


POLÍCIA

MP proíbe tráfego de carretas na divisa com Goiás em Barra do Garças

da redação

Devido aos transtornos causados pelas obras de manutenção que estão sendo realizadas na Ponte Arquimedes Pereira Lima, que liga os Estados de Mato Grosso e Goiás, o Ministério Público Estadual (MPE) notificou, nesta quinta-feira (21.10), o prefeito municipal de Barra do Garças, Wanderlei Farias Santos, para impedir o fluxo dos veículos de transporte de cargas, entre 6h e meia-noite.

A limitação de tráfego ocorrerá durante todo o período de execução dos serviços, que poderá durar até três meses. O gestor público tem o prazo de 72 horas para atender a notificação recomendatória.

De acordo com o promotor de Justiça Marcos Brant Gambier Costa, a Coordenadoria Municipal de Trânsito deverá sinalizar os desvios, indicando aos carreteiros e caminhoneiros que o acesso não será feito pelo perímetro urbano do município. Além disso, o órgão deverá adotar medidas de divulgação informando aos motoristas todas as alternativas de acesso entre Mato Grosso e Goiás, bem como o horário em que poderão, durante o período de restrição, trafegar no perímetro urbano de Barra do Garças acessando a ponte, disse.

Segundo ele, não serão impedidos de trafegar os veículos pesados que tenham como destino as cidades de Barra do Garças, Pontal do Araguaia e/ou Aragarças, bem como veículos de passeio, transporte de passageiros, de enfermos e de alunos de escolas em qualquer nível, veículos a serviço dos Correios, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil ou qualquer dos entes estatais. A restrição foi necessária porque com o advento das obras na ponte e o grande fluxo de carretas e caminhões impedem a regular fluência da circulação de veículos, causando inúmeros transtornos aos moradores de Barra do Garças e Pontal do Araguaia, informou.

Na notificação, o MP ressaltou que as carretas que trafegam por Rondonópolis migraram para Barra do Garças e estão optando pela BR-070 para acessar os locais de destino, aumentando, aproximadamente, em 45% o volume de veículos pesados trafegando no local. O número chega a 1.200 carretas por dia que passam pela ponte Arquimedes Pereira Lima. Em ocasiões normais, a situação no trânsito da localidade já é caótica, o que faz com que a população conviva com constantes engarrafamentos, em diferentes horários do dia, calamidade que é ignorada pelas autoridades dos dois Estados e do governo federal, destacou o promotor de Justiça.

O Ministério Público encaminhou cópia da notificação ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Ministério Público de Goiás. Além disso, os governadores dos Estados de Mato Grosso e Goiás, o diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e os representantes das Polícias Rodoviárias Federais dos dois Estados foram informados sobre documento.

informações da assessoria do MP











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO