26.12.2015 | 13h00


POLÍCIA / NATAL EM CHAMAS

Moradora pula de prédio para fugir de fogo em apartamento; estado é grave

O incêndio teria começado no quarto da moradora e se alastrou para a sala. Encurralada próximo à janela, ela pulou


DA REDAÇÃO

Desesperada, uma mulher ficou gravemente ferida após pular de seu apartamento que estava em chamas, localizado no terceiro andar de um prédio,  no condomínio Parque Chapada dos Montes, na região do Coxipó, em Cuiabá. O caso ocorreu na noite desta sexta-feira (25), feriado de Natal.  

O incêndio teria começado no quarto da moradora e se alastrou para a sala. Encurralada próximo à janela, ela teria pulado por medo de morrer carbonizada ou asfixiada pela fumaça.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a mulher, que estava sozinha no apartamento, e pulou de uma altura de 12 metros. Ela está internada no Pronto-Socorro de Cuiabá com suspeitas de fraturas na coluna.

O incêndio teria começado no quarto da moradora e se alastrou para a sala. Encurralada perto da janela, ela pulou por medo de morrer carbonizada ou asfixiada pela fumaça.

Moradores do mesmo andar saíram rapidamente do prédio e acionaram o Corpo de Bombeiros, que arrombaram a porta do apartamento e conseguiram controlar as chamas. A suspeita é de que o incêndio teria sido causado por um curto-circuito, já que a tomada do cômodo estava carbonizada.

No entanto, agentes da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) ainda devem emitir laudo oficial em 60. Por conta disso, o apartamento ficou interditado. A Polícia Civil deve abrir um inquérito para investigar o caso.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO