07.05.2019 | 16h40


CASO SCHEIFER

Justiça manda soltar acusados e diz que tenente do Bope foi morto por acidente

O tenente Scheifer foi atingido na região abdominal. Os colegas sustentaram que o o disparo foi feito por suspeito não identificado, que estaria na mata. A perícia comprovou que o projétil partiu do fuzil do cabo Lucélio Gomes Jacinto


DA REDAÇÃO

Os policiais militares Lucélio Gomes Jacinto, Joailton Lopes de Amorim e Werney Cavalcante Jovino, acusados pelo homicídio do tenente do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Carlos Henrique Scheifer, durante uma caçada na mata a ladrões de banco, tiveram liberdade concedida pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), nesta terça-feira (07).

O trio estava preso desde o dia 13 de março.  O julgamento do pedido de Habeas Corpus concluiu que o homicídio, que aconteceu em 2017, foi acidental.

Antes de ler o voto, o desembargador Orlando Perri adiantou seu entendimento. "Cheguei à conclusão de que a morte do tenente foi um lamentável acidente. Todas as circustâncias convegem para esse sentido", disse Perri.

O desembargador votou pela soltura dos militares, analisando principalmente o fator de baixa visibilidade noturna no local em que o tiro, que matou o tenente foi disparado.

O voto de Perri foi seguido pelo juiz convocado Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto.

No último dia 30 de abril, o mesmo Habeas Corpus foi analisado. O relator Paulo Cunha votou para que os militares continuassem presos. A sessão, porém, foi adiada após o pedido de vistas de Perri.

O julgamento foi transmitido pelo canal do Tribunal de Justiça (TJMT) no Youtube.

Assista o julgamento a partir no minuto 14h37.

Entenda

Inicialmente, o cabo Jacinto, o sargento Amorim e o soldado Jovino afirmaram que Scheifer foi morto por um bandido, durante confronto na mata. Eles estavam à procura de uma quadrilha do novo cangaço, que havia assaltado um banco na cidade de Matupa (a 696 km de Cuiabá).

No entanto, o exame da balística comprovou que os disparo que atingiu o tenente do Bope partiu do fuzil do cabo Jacinto. A partir disso, o PM mudou a sua versão e disse que o tiro foi acidental, na tentativa de acertar os bandidos. O tenente Scheifer foi atingido por disparo de arma de fogo na região abdominal. Inicialmente, os colegas de farda sustentaram que a vítima havia sido atingida por disparo efetuado por suspeito não identificado, que estaria em meio à mata. Após a realização do laudo pericial ficou comprovado que o projétil alojado no corpo do tenente partiu de um fuzil do cabo Lucélio Gomes Jacinto.

“Somente após a balística descortinar que o disparo, que atingira mortalmente o tenente Scheifer ter saído da arma de fogo portada pelo denunciado cabo da PM Jacinto, que então mudando a versão de outrora, ele alegou ter se equivocado da pessoa do tenente Scheifer com a do suspeito”, afirmava a denúncia do MPE.

Leia mais

Tenente do Bope iria denunciar policiais e foi morto por colegas de farda

Tenente Schefer teria sido morto para não abrir inquérito contra PMs; Coronel descarta confronto com bandidos 











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

MORADOR  08.05.19 07h23
Rua da Vitória, Bairro Alvorada Cuiabá, a polícia tá passando mas não prende ninguém Tá tudo traficando ali dia e noite sem parar. Ali é um beco que dá numa escada para a Av. Rep. do Líbano, Noiado dia e noite, tráfico, troca de coisa roubada. A maioria das casa ali é boca de fumo/ponto de venda. Tem gente que usa desse artífice para ludibriar a policia. Finge que é casa de família mas é ponto de drogas. Tudo CV, quem manda na cidade é o CV. Polícia só faz de conta que existe, justiça solta todo mundo. Mato Grosso É CV.

Responder

1
0
Matéria(s) relacionada(s):

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER