06.02.2020 | 10h15


POLÍCIA / VAI FICAR NA CADEIA

Juiz mantém prisão do assassino da Amarok por descumprir medidas cautelares

Maruan Fernandes Haidar Ahmed foi preso um ano após matar, por motivo fútil, Fábio Batista da Silva numa conveniência do bairro Vila Aurora, em Rondonópolis (a 212 km da Capital).


DA REDAÇÃO

Maruan Fernandes Haidar Ahmed, 20 anos, acusado pelo assassinato de Fábio Batista da Silva, 41, numa conveniência do bairro Vila Aurora, no município de Rondonópolis (a 212 km da Capital), teve a prisão em flagrante convertida em preventiva durante audiência de custódia na tarde dessa quarta-feira (05).

Com a determinação, ele foi levado para a Penitenciária Regional Major Eldo de Sá Corrêa - o presídio da Mata Grande.

Maruan foi preso na terça-feira (04), após faltar a uma audiência na qual deveria ter comparecido obrigatoriamente devido às medidas cautelares que o rapaz se comprometeu a cumprir para responder o processo em liberdade.

A Polícia Militar (PM) foi acionada imediatamente no momento em que saiu a decisão do juiz, pois, havia risco do acusado foragir do país, como já ocorreu anteriormente.

Um cerco foi feito próximo à casa da família Ahmed, onde o jovem foi preso em flagrante no cumprimento da ordem judicial. Segundo os militares, ele não resistiu à prisão e, em seguida, foi encaminhado à 1ª Delegacia de Polícia, onde ficou detido até essa quarta-feira.

Além de faltar à audiência, o presidiário descumpriu outras medidas cautelares que lhe garantiam o HC, porém, o processo corre em segredo de justiça e não foram divulgados detalhes.

Entenda o caso

Essa foi a primeira vez que o acusado é preso, já que cometeu o crime em 18 de novembro de 2018, foragiu no mesmo dia e ficou ‘desaparecido’ por pouco mais de um ano, quando postava fotos nas redes sociais mostrando ‘a vida boa’ que estava levando fora do país.

O jovem se apresentou à justiça no dia 03 de dezembro de 2019, quando já tinha a certeza que não seria preso, já que uma semana antes os advogados conseguiram um Habeas Corpus da Justiça para que o cliente respondesse o processo em liberdade.

Para tal, Maruan deveria apenas cumprir algumas medidas cautelares como: entregar o passaporte à Justiça, usar tornozeleira eletrônica, se recolher em casa no período noturno, não manter contato com pessoas relacionadas ao processo, dentre outros.

O crime

Fábio estava na lanchonete quando o acusado parou o carro Volkswagen Amarok com o farol ligado. Como todos os clientes ficaram incomodados com a luz, a vítima foi até a caminhonete pedir para que o motorista desligasse o farol.

Após chamar a atenção de Maruan, Fábio virou as costas para retornar à mesa, mas irritado, ele sacou uma arma, atirou nas costas da vítima e fugiu.

Embora nunca tenha sido efetivamente preso, Maruan já havia sido autuado outras vezes por porte ilegal de arma de fogo e por dirigir bêbado. Veja reportagem completa.











(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ana  06.02.20 12h47
parabens pela decisão. agora continuamos de olho no caso do gari atropelado que perdeu a perna, da rodrigo (aluno) do corpo de bombeiros, da influencer do interior (menino na moto) da medica (verdureiro) e de tantos outros

Responder

6
0
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO