27.09.2010 | 13h25


POLÍCIA

Investigações apontam militares envolvidos em roubo a caixas eletrônicos



da redação

A Polícia Civil já sabe que mais policiais militares estão envolvidos com as quadrilhas que arrombam caixas-eletrônicos no Estado.

As investigações, que continuam, apontam o envolvimento de pelo menos mais três militares nas ações criminosas. "No mínimo três, sendo um deles um sargento", informou um policial que participa dos trabalhos investigativos, mas que preferiu manter-se no anonimato.

Os militares seriam responsáveis pelo apoio logístico e não participam diretamente dos cortes aos caixas-eletrônicos. Mais envolvidos nos crimes podem ser presos a qualquer momento.

Procurada pela reportagem, a delegada Ana Cristina Feldner, que investiga os casos, preferiu não fazer comentário algum sobre a descoberta. "Se os crimes continuam, as investigações continuam", disse.

Anteontem pela manhã, ocorreu mais um ataque em Cuiabá. Desta vez, no terminal do Banco do Brasil localizado dentro do Supermercado Compre Mais, que fica no bairro Jardim Cuiabá. O terminal foi arrombado com o uso de um maçarico.

A suspeita é que os ladrões tenham entrado pelo telhado e saído pela porta dos fundos, que estava arrombada. Para evitar que fossem reconhecidos, eles quebraram as câmeras de segurança, além de cortar os fios de alarme.

O equipamento teria sido abastecido no dia anterior à ação criminosa. Sobre este caso, a delegada Ana Cristina Feldner disse apenas que todas as providências para localizar os responsáveis foram tomadas.

"Trabalho"

Os roubos são muito bem estudados. Os assaltantes chamam a ação criminosa de "trabalho", pois afirmam que cada terminal violado é resultado de vários dias de planejamento. Antes de agirem, os bandidos mapeiam os caixas-eletrônicos. Eles costumam passar em frente, verificam se há segurança, quais os valores de cédulas que o equipamento disponibiliza, quando é abastecido e outros detalhes.

Somente neste ano, 58 terminais eletrônicos já foram alvo das ações dos criminosos. No dia 14 de setembro, a Polícia Civil desencadeou a Operação Constra-senha. Na ocasião, cinco pessoas foram presas pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), sendo que um dos envolvidos é policial militar.

Os presos são o soldado Eric José da Silva, de 26 anos, Ricardo Xavier Souza Lopes, o "Ninja", de 27, Alcimar Santos de Oliveira Tibaldi, de 26, o vigia Waldiley Slovisnki Pernet e Magno Cesar Paes de Oliveira, de 26.

Os arrombamentos já renderam entre R$ 4 milhões e R$ 6 milhões aos bandidos. Conforme as investigações policiais, quatro quadrilhas agem nessa modalidade de crime: três, na Grande Cuiabá, e uma, no interior. Ao todo, mais de 20 bandidos participariam das quatro quadrilhas.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO