07.10.2010 | 00h38


POLÍCIA

Inquérito sobre desvio de R$ 44 mi será concluído em 30 dias, diz delegada



Da Redação - Kelly Martins

O inquérito que investiga o suposto superfaturamento de R$ 44 milhões na compra de 705 máquinas e caminhões pelo programa do Governo "MT 100% Equipado" será concluído em 30 dias pela Delegacia Fazendária. "Estamos finalizando todas as diligências para elucidação dos fatos. Queremos entregar o relatório até o final do mês", destacou a delegada Lusia de Fátima.

As investigações haviam sido suspensas pelo do juiz da Vara Especializada Contra o Crime Organizado, de Ordem Tributária e Crimes Contra a Administração Pública, José Arimatéia, logo, as perícias que eram realizadas nos 141 municípios do Estado também ‘pararam’.

Após decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, que expediu liminar, afirmando não haver conflito de competência das justiças estadual e federal para apurar o crime, Arimatéia deliberou pela continuidade das investigações.

A delegada explica que técnicos ainda continuam a percorrer o Estado para as perícias nas máquinas restando ainda 37 dos 141 municípios a serem visitados.

O suposto superfaturamento também serviu como arma eleitoral durante a campanha ao governo, sendo usada por adversários que tentaram evitar a reeleição de Silval Barbosa (PMDB).

O candidato do PSDB, Wilson Santos, ingressou com uma ação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) pedindo a instauração de investigação judicial eleitoral no caso do superfaturamento.

Além disso, o vazamento do depoimento de um empresário, que integra a lista de pessoas que venderam as máquinas para o Governo, dois dias antes das eleições (3 de outubro), também provocou uma verdadeira guerra nos bastidores da política. Porém Lusia de Fátima garante que as investigações não serão prejudicadas.

Um dos mais interessados na conclusão das investigações é o próprio governador Silval Barbosa, acusado de envolvimento no superfaturamento. Barbosa vem cobrando a agilidade no andamento do processo de investigação e garante que os rivais fizeram denúncias caluniosas sobre o fato.

O relatório final da Auditoria-Geral do Estado (AGE) sobre a compra de máquinas e caminhões aponta um sobrepreço de R$ 44,4 milhões. O montante equivale a 22% pagos a mais pela compra do maquinário distribuído aos nos municípios mato-grossenses.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO