14.07.2010 | 16h23


POLÍCIA

Inquérito deve apontar para assassinato e suicídio



A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) aguarda apenas os resultados dos exames de local e de balística para concluir o inquérito da tragédia do dia 24 de junho, no Condomínio Vilas Boas, no bairro Ribeirão do Lipa, em Cuiabá.

Segundo o delegado Antonio Esperândio, responsável pelo inquérito, a linha da investigação não mudou. Segundo ele, as evidências são de que o médico Afrânio Maia de Almeida, 33, matou a filha, Maria Clara, 6, atirou na mãe da menina, Liciene Ferrassoni, 28, e, em seguida, se suicidou.

Para o delegado, até o momento, não há nenhuma novidade no caso. A linha de investigação, segundo ele, não aponta para alguma forma de participação do atual namorado de Liciene, Wilker Patrik Fernandes de Melo, no crime.

"Até o momento, não há provas de que ele teve envolvimento direto na tragédia, mas é preciso lembrar que o inquérito ainda não foi concluído. Dependendo do resultado dos exames, toda a linha de investigação poderá mudar", afirmou Esperândio.

As investigações apontam para um quadro em que o ginecologista matou a filha, quando ela estava deitada em sua cama. "Como o projétil foi encontrado entre os cabelos da criança, significa que ela estava com a cabeça apoiada em alguma superfície, no caso, a cama", explicou o delegado.

Segundo o policial, todos os depoimentos considerados necessários já foram colhidos pela Polícia Civil. A previsão é de que o inquérito seja concluído na semana que vem.

Entenda o caso

De acordo com a Polícia Civil, Afrânio, que estava separado há um ano, chegou na residência de Liciane por volta das 2h da madrugada do último dia 24. Ele discutiu na sala com mulher, atirou na porta do quarto onde estava o Wilker de Melo, depois atirou em Liciane, que estava na sala com ele. Depois, entrou no quarto da filha, que estava dormindo, e atirou na cabeça da criança. Ela não resistiu e morreu na hora.

Em seguida, o médico atirou em sua própria cabeça. Ele ainda foi levado ao Pronto-Socorro Municipal da Capital com vida, mas não resistiu ao ferimento.

Liciane foi encaminhada para atendimento médico. Ficou internada durante uma semana e, agora, se recupera em casa.

De acordo com a família, ela não teve seqüelas. Seu namorado, Wilker, saiu da residência sem ferimentos











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO