17.07.2010 | 16h23


POLÍCIA

Inpe prevê mínima de até 4º na Capital no domingo



O frio que fez ontem em Cuiabá assustou e mudou hábitos dos cuiabanos, tão acostumados com o forte calor em torno dos 40º. A sensação térmica de 9ºC fez com que muitas pessoas que saíram às ruas usassem, além do casaco, cachecol, tocas e luvas para ficarem mais aquecidos.

De acordo com o 9º Distrito de Meteorologia (Disme), a madrugada de ontem não foi a mais fria do ano. A temperatura registrada foi 3ºC acima da verificada no dia 13 de maio, quando os cuiabanos enfrentaram 9,1ºC. "Hoje (ontem) estava em 12ºC. Mas está ventando bastante, o que dá essa sensação de frio mais intenso", explicou a diretora do 9º Disme, Marina Padilha.

E a previsão para hoje é de mais frio, segundo informou o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe). A mínima esperada é de 7º e a máxima de 19º.

Para domingo (18), a mínima deve cair ainda mais, para 4°, e a máxima vai a 20º. Para se ter uma ideia, a cumprir-se a previsão do Inpe, a mínima em Cuiabá será menor do que em São Joaquim (SC), considerada a cidade mais fria do Brasil, onde deverá fazer 6º. Na cidade catarinense, no entanto, a máxima ficará em 10°. Em Cuiabá, será 20°.

Ainda segundo o Inpe, a temperatura começa a subir a partir de segunda-feira, com mínima de 9° e máxima de 25º. Na terça, espera-se 11° e 31°, respectivamente.

Mas existem discrepâncias entre o que diz o Inpe e o que prevêem outros serviços meteorológicos. O Clima Tempo, por exemplo, espera mínima de 10° e máxima de 17º no sábado. No domingo, prevê 10° e 24º, respectivamente. Já o Tempo Agora, prevê 10° e 17° para o sábado e 10º e 23° no domingo.

A população sentiu a mudança. "Sou de Pernambuco, criada em São Paulo e estou em Cuiabá há quase 30 anos. Este frio está fora do normal", dizia a dona-de-casa Maria do Socorro Ferreira, 57 anos, que usava da blusa de frio e colocou cachecol para proteger a garganta. "Para a gente que tem um pouco mais de idade, esse frio faz doer até os ossos", acrescentou.

Quem também redobrou a proteção foi o moto-taxista Fernando Alves, 30 anos. Todo encolhido e encostado em uma parede de um estabelecimento farmacêutico, localizado no Centro da Capital, Alves tentava fugir do vento gelado. "Para quem anda de moto, o frio fica mais forte, venta mais e tem que usar o que puder para esquentar, ou então, não aguenta", comentou.

Mas, para o representante comercial João Queiroz o dia de ontem foi um dos mais agradáveis do ano. "Como bom paulista, eu gosto do frio e assim está bom", disse. "Estou aqui desde 1985 e nunca vi um frio como este", reconheceu.

Para esquentar, Queiroz recorreu a um bom café quente. Bom para o vendedor ambulante Luiz Santana, que vendeu a mais. "Já vendi 30% a mais que no calor. No frio, as pessoas tomam mais café", comemorou. Enquanto uns comemoram, outros lamentam. O vendedor de picolés José Augusto de Lima não teve uma boa sexta-feira. "Não vende nada, mas a gente tem que trabalhar", lamentou.

Já quem pretende ir para Chapada dos Guimarães, onde acontece o Festival de Inverno, vai enfrentar temperatura ainda mais baixa. Na cidade, que tem a mesma altitude da Serra de São Vicente, onde o Disme tem estação meteorológica, a mínima prevista é de 9ºC. Na serra a temperatura registrada foi de 7,5ºC.

Ontem pela manhã, a umidade relativa do ar (URA) era de 60%, acima da mínima recomendada pela Organização Mundial de Saúde, que é de 40%.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO