22.11.2010 | 22h16


POLÍCIA

Idosa se arrisca e morre atropelada na Avenida Fernando Corrêa, em Cuiabá

ANDRÉ MICHELLS
DA REDAÇÃO

O caótico trânsito da Capital fez mais uma vítima na tarde desta segunda-feira (22). A aposentada Ana Bertulina da Silva, de 72 anos, tentou atravessar a Avenida Fernando Corrêa da Costa, nas proximidades do viaduto da Avenida Miguel Sutil e foi colhida por uma perua Zafira, placas CZI 5116, de Cuiabá, conduzida por Ricardo Ricci.

O impacto foi tão forte que a vítima foi arremessada de um lado para o outro da pista e morreu na hora. O atropelamento aconteceu por volta das 16h, segundo informações do tenente Guilherme Gahyva, da Polícia Militar (PM). A vítima, segundo ele, foi imprudente ao tentar atravessar a pista em local inadequado.

 “Aqui é um lugar de subida, o que a gente chama de top de via, e é um lugar inapropriado para atravessar, nem sequer há faixa de pedestres”, diz. De acordo com o tenente a perícia vai definir qual velocidade estava o veículo e o fato de não ser local apropriado para travessia é um atenuante para o condutor.

 “O projeto da obra da avenida não previu faixa neste local, justamente por ser um top, ou seja, de difícil visualização, tanto de pedestres quanto de motoristas”, argumentou.

Para o tenente, o motorista pode responder por homicídio na condução de veículo automotor, crime previsto no Código Brasileiro de Trânsito (CTB), e não homicídio culposo como no Código Penal. “Será verificada a velocidade estimada do veículo (no local o permitido é de 60 km) para definir a culpabilidade ou não do condutor. Caso constatado a direção em alta velocidade, ele vai ser enquadrado no artigo 302 do CTB”, explicou. O motorista foi levado para o CISC do Planalto para prestar depoimento.  

A perita Silbene França, que examinou a vítima, lamentou o ocorrido e fez um apelo para que as autoridades de trânsito realizem mais campanhas para conscientizar pedestres. “Ficou claro aqui que a vítima foi imprudente ao tentar a travessia neste local, o que denota uma falta muito grande ainda de consciência por parte dos pedestres quanto aos perigos do trânsito; não adianta focar somente nos motoristas, temos que ter um foco nos pedestres também”, afirmou.

O acidente foi semelhante ao acorrido na semana passada, quando Arlete Nazário, de 52 anos, foi morta por um ônibus, na Avenida Mato Grosso. Como Ana Bertulina, Arlete Nazário atravessou em local de risco e morreu esmagada pelo coletivo.

A tragédia, como de costume chamou atenção de muitos populares, que se aglomeraram para assistir as cenas de horror. Muitos fotografavam com aparelhos de celular, como se estivessem em um circo macabro. Alguns motoristas chegavam a fotografar o cadáver, enquanto dirigiam, o que irritava os PMs no local.

O acidente também provocou grande congestionamento dos dois lados da pista, que só foi liberada por volta das 18h30, quando o ILM retirou o corpo da vítima do local. Familiares, consternados, não quiseram se pronunciar. A vítima era moradora do Bairro da Manga em Várzea Grande.

O número de mortes no trânsito na Grande Cuiabá já passa de 170 no ano de 2010, segundo informações do Detran.

 

Confira fotos: Atenção, as imagens são fortes











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO