27.05.2020 | 15h55


POLÍCIA / DOENTIO

Homem se passa por cliente de loja e tenta estuprar vendedora em VG

Antes de fugir, o acusado ainda disse para a vítima esperar, pois, a acompanharia até em casa no final do expediente.


DA REDAÇÃO

Um homem de 27 anos, nome não revelado, foi preso durante a tarde dessa terça-feira (26) após se passar por cliente em uma loja de presentes na Avenida Julião de Brito,  no bairro Parque do Lago, em Várzea Grande, passar a mão nas partes íntimas e tentar agarrar uma funcionária, 19 anos. O criminoso ainda fez a vítima encostar em seu pênis.

De acordo com a ocorrência, o tarado entrou na loja, se passando por um cliente e se mostrando interessado em comprar ‘um presente’.

Enquanto era atendido, o acusado agarrou a vítima e passou a mão na região genital dela e fez com que ela encostasse a mão no pênis dele. 

Muito assustada, a mulher começou a gritar, conseguiu se desvencilhar do tarado e correu para os fundos do estabelecimento. No entanto, o acusado foi atrás dela e disse que ‘no final do expediente iria acompanhá-la até em casa e que conhecia  os familiares da vítima’. Em seguida o homem foi embora.

A Polícia Militar (PM) foi acionada, escutou o relato da funcionária, que repassou aos policiais a numeração da placa do carro do acusado.

Os militares fizeram a consulta da placa pelo Centro Integrado de Operações  de Segurança Pública (Ciosp) e foi verificado o nome e endereço do tarado.

Os policiais se deslocaram ao endereço, onde a guarnição foi recebida pelo próprio acusado, que se entregou prontamente e não resistiu à prisão.

A mãe do acusado relatou à PM que o filho tinha quadro de esquizofrenia.

Diante dos fatos, a ocorrência foi registrada por crime de importunação sexual e encaminhada à Delegacia de Polícia Civil, onde o acusado foi entregue, ouvido pelo delegado e mantido preso aguardando os procedimentos legais cabíveis ao caso.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO