05.04.2020 | 10h48


POLÍCIA / TARADO CARA DE PAU

Homem chama carro por App, assedia motorista e dá calote ao chegar em casa

Mulher chamou a PM que prendeu o homem no início da manhã deste domingo, em Várzea Grande


DA REDAÇÃO

Um homem de 41 anos, nome não revelado, foi preso no início da manhã deste domingo (05) na porta de casa ao se recusar a pagar por uma corrida de transporte por aplicativo e ainda assediar sexualmente a motorista no bairro Flor do Ypê, em Várzea Grande.

De acordo com o relato da vítima, ela atendeu ao chamado pelo aplicativo e seguiu para atender o cliente, que teria como destino o bairro CPA 4, em Cuiabá.

Porém, segundo a motorista, imediatamente ao entrar no veículo o homem começou a dizer palavras de cunho sexual, assediando a mulher e tentando a intimidar.

Logo em seguida, o passageiro desistiu do destino e pediu para ser levado para casa, quando ao chegar no endereço o acusado disse que não pagaria pela corrida.

Neste momento, a motorista ligou para o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e relatou de forma resumida o que estava acontecendo, pedindo apoio policial.

Enquanto a vítima pedia socorro, o acusado continuou a fazer xingamentos contra a mulher e ainda contra alguns populares que flagraram o ocorrido.

A Polícia Militar, acionada pelo Ciosp, compareceu ao local para atender a ocorrência, onde encontrou o tarado na calçada em frente a sua casa.

O homem foi preso e encaminhado à Delegacia Central de Flagrantes, onde a ocorrência foi registrada como crimes contra a dignidade sexual e assédio sexual consumado.

Ainda durante o registro do boletim de ocorrência, o acusado continuou a tentar intimidar a vítima e também os policiais.

Em seguida, foi reencaminhado para a Delegacia de Polícia Civil, onde foi ouvido pelo delegado e ficou detido aguardando os procedimentos cabíveis ao caso.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO