04.08.2010 | 12h23


POLÍCIA

Hércules tem data marcada para voltar ao banco dos réus em MT



Está marcado para o dia 8 de setembro o julgamento do ex-cabo da Polícia Militar Hércules de Araújo Agostinho. A decisão foi tomada no fim de julho pelo juiz João Alberto Menna Barreto Duarte, que já solicitou o recambiamento do preso e vaga para Hércules no presídio de Rondonópolis. Ele vai responder pelas mortes dos irmãos Brandão Araújo Filho, assassinado no dia10 de agosto de 1999 e José Carlos Machado Araújo, morto no dia 28 de dezembro de 2000.

Brandão Araújo Filho foi executado a tiros quando estava em um veículo estacionado no centro da cidade. De acordo com as testemunhas, um homem em uma motocicleta e usando capacete, teria se aproximado do veículo e disparado vários tiros contra o empresário, que morreu local.

Um ano e quatro meses depois, José Carlos Machado Araújo também foi morto a tiros, quando se encontrava no estacionamento de uma agência bancária, no centro de Rondonópolis.

De acordo com inquérito criminal lotado na 1º Vara Criminal de Rondonópolis e conduzido pelo juiz João Alberto Menna Barreto Duarte, os crimes teriam sido motivados por desentendimentos envolvendo a venda de uma área de terra da Fazenda Três Irmãos, de propriedade de José Carlos. A terra teria sido negociada 1988. Ainda segundo o processo criminal, o ex-cabo da PM teria sido contratado pelos compradores da área, para dar um fim nas vítimas.

Um documento de transferência de um veículo é uma das principais provas que levaram a polícia até Hércules e aos demais envolvidos no crime. Segundo as investigações o carro teria sido dado como forma de pagamento pelos homicídios.

O processo que investiga o caso aponta  além de Hércules, outras qutro pessoas que estariam envolvidas no crime. Mas por conta de recursos dos advogados de defesa, apenas Hércules Agostinho vai a julgamento em setembro.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO