18.03.2019 | 14h14


REBELDES SEM CAUSA

'Grupo Massacre MT' ameaça atacar escolas de VG; Veja imagens

Ameaças foram feitas em grupo de WhatsApp sobre suposto atentado nas escolas estaduais Jaime Veríssimo de Campos e Marlene Marques


DA REDAÇÃO

Têm tomado as redes sociais e gerado pânico, nesta segunda-feira (18), as conversas de um grupo de Waths APP que tratam sobre um suposto ataque em duas escolas em Várzea Grande. Os alvos seriam a Escola Estadual Jaime Veríssimo de Campos (Jaiminho) e a Escola Estadual Marlene Marques de Barros, ambas ficam no mesmo quarteirão, no bairro Jardim Imperial.

Ao , a técnica de assuntos educacionais da escola Jaiminho, disse que a direção da unidade tomou conhecimento das ameaças e que o diretor da escola registrou um boletim de ocorrência.

Entre as imagens em conversas de um grupo denominado “Massacre MT”, foi divulgada a foto da escola Jaiminho com uma ambulância na frente, como se um incêndio ou ataque já tivesse acontecido, porém, conforme a direção, a informação é falsa, já que a foto é de anos atrás, quando um aluno passou mal e precisou de resgate. 

A falsa informação levou uma viatura da Polícia Militar a descolocar para unidade de ensino, devido a tensão que se instalou no local.

“Negocio é o seguinte, vamos pegar primeiro a escola Marlene. Daqui 4 dias eu falo o dia”, consta entre as mensagens ameaçadoras do grupo.

Também há um aviso de que ninguém deverá ir para a escola na terça-feira (19), devido a possibilidade de ataque.

A direção da escola Jaiminho afirmou que as aulas seguem normalmente.

Ataque em escolas

Na última sexta-feira (15), a diretora de uma Escola Estadual do município de Cáceres (220 km de Cuiabá) procurou a Polícia Civil para denunciar um grupo criado no aplicativo Telegram, administrado por um menor, identificado como H.A.A., de 17 anos, que traz supostas ameaças de ataque à unidade.

A diretora, que não pode ter o nome divulgado por questão de segurança, contou aos policiais que ficou sabendo após o pai de um aluno denunciar que o grupo – que possui 18 integrantes – estaria estimulando um massacre na escola.

Ataque em Suzano

As ameças em MT passaram a surgir após o atentado na Escola Raul Brasil, no município de Suzano, em São Paulo, na quarta-feira (13).

Dois jovens invadiram a unidade. O massacre deixou 10 mortos, dentre eles, os dois assassinos, que se mataram.

Outro lado

O entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) para saber as providências a respeito das ameaças. Em nota, a Seduc informou que acompanha os casos juntamente com a Polícia Civil.

Leia a nota na íntegra

Em relação ao caso de possível apologia ao crime em escolas estaduais, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informa que:

1 - Está acompanhado o caso de perto e, juntamente com a Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada do Adolescente (DEA), está tomando todas as providências para tranquilizar e garantir a segurança de toda a comunidade escolar;

2 - Informa ainda que está tratando do assunto de forma criteriosa e tentando resolver a situação internamente com a comunidade escolar para evitar que sejam criados caos e pânico em relação ao caso.

Leia também

Jovem cria grupo de mensagens e 'planeja' abrir fogo contra alunos em escola de MT

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:
Crédito:










(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

ADRIANA DOS SANTOS ROSSI  18.03.19 20h02
o ataque em Suzano nao foi numa unidade de saúde, corrijam a materia.

Responder

3
0
Matéria(s) relacionada(s):

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER