alexametrics
03.05.2011 | 19h01


POLÍCIA

Gaeco denuncia "esqueminha da guia" no Pronto Socorro de Cuiabá

FERNANDA LEITE  19h00
DAREDAÇÃO

Nove pessoas foram denunciadas na tarde desta segunda-feira (2) pelo Ministério Público por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO) ,por vendas de lugares na fila do Sistema Único de Saúde (SUS), para realização de cirurgias e também por desvio de medicamentos que estavam sendo retirados irregularmente da unidade do Pronto Socorro de Cuiabá.

A denúncia aponta que médicos eram os mandantes do crime que culminava no "esqueminha de guia" onde enfermeiros, gesseiros, e outros técnicos participavam o esquema.

De acordo com o coordenador do GAECO, Paulo Prado, a ação vinha sendo praticada desde 2009, custando em torno de R$ 3.000 a R$ 1.500 mil, para que um paciente fosse submetido a uma cirurgia.

"Recebemos a denúncia de pessoas que estavam na fila do SUS, onde o que valia era o dinheiro. E não temos noção de quantas pessoas foram lesadas", disse o coordenador do Gaeco.

Além de burla o sistema de fila, os médicos também estavam emitindo autorização para que o paciente fosse encaminhado para um hospital particular conveniado com o SUS.

"Os médicos praticamente obrigavam os gesseiros que são pessoas humildes a participar do esquema. E também encaminhar o paciente ao um hospital particular. Temos provas que todos os funcionários estavam em conluio com os médicos", disse promotor de justiça Arnaldo Justino da Silva.

Já no esquema de vendas de medicamentos, como a morfina, endorfina, adrenalina e diazepam, medicamentos só podem ser consumido por prescrição médica os responsáveis pela emissão dos medicamentos estariam cobrando em tono de R$ 25. "Os remédios estavam sendo desviados para a venda ilegal", denunciou o promotor.

Durante as investigações, o Gaeco constatou que nenhuma providência foram tomadas pela Direção do Pronto Socorro.

Os denunciados responderão por crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa, peculato e falsificação de documentos. A denúncia também aponta o crime de prevaricação por parte da Diretoria do Pronto Socorro.

As denúncias serão encaminhadas para o Conselho Regional de Medicina (CRM) para punição dos envolvidos. Os pedidos de prisão ainda não foram emitidos, por que os acusados ainda não foram julgados.

Quem foi alvo da cobrança pode denunciar pelo número 3613-1622


Lista dos envolvidos:


Josué Pinto da Silva - Gesseiro

Wlamir Benedito Soares - Gesseiro

Jairo Calamir da Cruz - Instrumentalista Cirúrgico

Dioge Farias Sodré - Gesseiro

Murilo Sant'Ana Barros - Médico

Marcos Benedito Corrêa Gabriel - Médico

Beneficiados:

José Geraldo Souza Oliveira - Comerciante- Cirurgia

Alex Willian Xavier da Silva- Cirurgia

Rosangela Aparecida do Espírito Santo- Atestado médico

 

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime