alexametrics
07.07.2020 | 18h39


POLÍCIA / ALARMANTE

Feminicídios aumentam 75% em Mato Grosso; 28 mulheres foram mortas em 5 meses

Por outro lado, número de casos de agressão caíram e delegada acredita que as vítimas estão dentro de casa com os agressores e sem poder sair para denunciar



Nos primeiros cinco meses deste ano, em Mato Grosso, 28 mulheres foram assassinadas pelos seus companheiros ou ex-companheiros. O número de feminicídios em 2020 é 75% maior ao que foi registrado no mesmo período de 2019, quando foram contabilizadas 16 mortes em todo o Estado. Por outro lado, De janeiro a maio deste ano, o Estado registrou quedas nos registros de ameaça (-16%), lesão corporal (-10%), tentativa de homicídio (-25%), dentre outros.

Delegada e coordenadora da Câmara Temática de Defesa da Mulher da Sesp-MT, Jozirlethe Criveletto, acredita que as mulheres estão dentro de casa com os agressores e sem poder sair para denunciar. “Esse comparativo janeiro a maio de 2019 e 2020, que pega justamente o período do ápice da pandemia, percebe-se que todas as outras violências, a maioria delas, diminuíram seus registros, mas quando nós lembramos que os canais de denúncias como o 180 têm aumentando o número de recebimento de denúncia, nós então entendemos que os registros por si só não espelham a realidade da violência doméstica em Mato Grosso. O número das denúncias nos canais, a exemplo do número 180 mostra um aumento de 35% nos atendimentos entre os primeiros meses do ano passado e 2020”, destaca.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Violência, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) e os números são medidos com base nos dados lançados no Sistema de Registro de Ocorrências Policiais (SROP) e informações fornecidas pelas Diretorias Metropolitana e de Interior da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT).

A Superintendência do Observatório da Violência alerta que os dados de feminicídio apresentados são passíveis de alteração, tendo em vista que a investigação do crime é complexa, e a consolidação da motivação pode necessitar de extensão de prazo e envio posterior.

Conheça algumas das vítimas

Entre as vítimas de feminicídio deste ano, em Mato Grosso, está a adolescente Ana Luiza, de 13 anos. Ela estava grávida e foi assassinada com golpes de madeira em um terreno baldio pelo ‘ficante’. A garota estava desaparecida há 2 dias, quando teve o corpo localizado, na madrugada do dia 2 de abril, em Sorriso (a 420 km de Cuiabá).

Também em abril Nielly Cristian de Freitas, de 22 anos, foi assassinada com vários golpes de faca, em Tangará da Serra (241 km de Cuiabá). O ex-marido não aceitava o fim do relacionamento e matou Nielly quando ela foi levar o filho do casal para ele ver.

Em Lucas do Rio Verde, Izabel Cristina Zuannazzi de 38 anos, foi morta pelo ex-namorado que conheceu pela internet. Ela morava no Paraná e se mudou para Lucas do Rio Verde para viver com ele, mas logo percebeu o comportamento agressivo e se separou. Ela foi morta quando conversava com a ex-sogra

Aline Gomes de Souza, 20 anos, também foi morta com vários golpes de faca, mas em Cuiabá. Depoimentos de amigas nas redes sociais afirmaram que a vítima aprendeu a se maquiar para esconder as marcas das agressões. O crime aconteceu no condomínio Chapada dos Bandeirantes, no bairro Chácara dos Pinheiros. Um vídeo do condomínio mostra Aline tentou fugir do assassino.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime