alexametrics
25.09.2010 | 13h02


POLÍCIA

Falta de água faz creches fecharem as portas na Capital

da redação

Pelo menos 10 creches públicas de Cuiabá dispensaram as crianças por falta d"água. Foram 4 unidades que ficaram o dia todo sem atendimento e 6 no período da tarde.

As creches são as instituições que mais sofrem com o problema, já que, além do consumo para alimentação, as crianças com fraldas recebem 2 a 4 banhos por dia.

O secretário Municipal de Educação, Permínio Pinto, afirmou que esses foram problemas isolados, que fogem do controle da secretaria. Segundo ele, as creches sem funcionamento durante todo o dia foram Laís Amicucci (no bairro Novo Milênio); Marechal Rondon (Jardim Industriário); Maria Nery Batista Ribeiro (Osmar Cabral) e Maria Lígia Borges Garcia (Jardim Vitória).

Permínio disse que, em reunião com o presidente da Companhia de Saneamento da Capital (Sanecap), Carlos Roberto da Costa, foi montada uma estratégia para não faltar mais água nas unidades. A Sanecap se comprometeu em reforçar o atendimento às creches com caminhão-pipa, em alguns casos, e no aumento da extensão nas redes de distribuição, em outros.

A situação se agravou ontem, mas a escassez foi sentida também na quinta-feira (23). Uma funcionária da creche Benedita Dias, no bairro Pedregal, que não quis se identificar, disse que as 70 crianças da unidade não foram recebidas pela manhã.

"A água é muito importante em uma creche, não tem como ela funcionar. Para você ter uma ideia, tivemos (os funcionários) que pedir água no vizinho porque não tinha nem para beber".

Várzea Grande

O diretor-presidente do Departamento de Água e Esgoto (DAE), João Carlos Hauer, disse que o abastecimento no município vizinho será normalizado somente no final do ano. A assessoria de comunicação da prefeitura divulgou informações para que a população fique em alerta, pois o abastecimento de água em Várzea Grande está comprometido.

"Hoje, Várzea Grande não tem água suficiente para capitação das estações de tratamento e os poços artesianos já estão com seus volumes bem abaixo do considerado ideal para mantermos a regularidade no abastecimento. Uma chuva não será suficiente para que o serviço volte à normalidade. Até dezembro, teremos que conviver como o racionamento", informa Hauer.

Outro lado

O diretor-técnico da Sanecap, Álvaro Gonçalves, disse que as creches de Cuiabá ficaram sem água devido ao alto consumo, que é agravado pelo tamanho do reservatório que as unidades possuem (inferior à demanda). Gonçalves informou ainda que o sistema de distribuição está sendo ampliado para corrigir o problema e confirmou que a Sanecap e a Secretaria de Educação se reuniram para buscar uma solução.

 

com A Gazeta











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime