11.02.2011 | 10h35


POLÍCIA

Estado vai gerir Hospital Metropolitano em VG por 10 anos

DA REDAÇÃO 17h00

O secretario de Estado de Saúde, Pedro Henry, em visita técnica ao Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande e ao Hospital Metropolitano anunciou investimentos para a saúde pública da Região Metropolitana e assinou, em conjunto com a Prefeitura Municipal de Várzea Grande, o Termo de Cessão de Uso do hospital para o Estado por um período de 10 anos.

O secretario Pedro Henry anunciou que vai assinar convênios com o município de Cuiabá no objetivo de amenizar os problemas da Urgência e Emergência. Com a Prefeitura Municipal de Cuiabá o convenio prevê a conclusão da área verde do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá,com mais 85 leitos, no valor de R$ 1,5 milhão. Com o Hospital Santa Helena o convenio prevê a construção do quarto andar, que abrigará 60 leitos, cujo valor previsto é de R$ 2 milhões.

Já para o Hospital Metropolitano o Ministerio da Saúde vai se empenhar em arrumar recursos na ordem R$ 13 milhões de emendas parlamentar,que serão destinadas para equipar os hospitais Metropolitano e o Municipal de Sinop, ficando distribuídos respectivamente R$ 3,7 milhões e R$ 9,3 milhões.

"Somados os leitos das ampliações que pretendemos fazer com mais 85 do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, 60 no Santa Helena, 72 no Metropolitano, totalizando 217, e praticamente um novo hospital nas estruturas que temos que serão utilizados para amenizar a sobrecarga que hoje têm os Prontos Socorros de Cuiabá e Várzea Grande.Já no projeto do fortalecimento da regionalização das ações e serviços da Rede SUS, em Sinop teremos mais 100 leitos.Queremos implantar estas ações em curso prazo",disse o secretário.

Na otimização do atendimento a Urgencia e Emergencia o Hospital Metropolitano será referencia para casos de Traumatologia, Ortopedia e cirurgias gerais, cujos casos encaminhados serão referenciados pela Central de Regulação e pelo SAMU 192.

Já as ações de médio e longo prazo, na área das Urgencias e Emergencias, já estão previstas e autorizadas pelo Ministerio da Saúde construções de quatro Unidades de Pronto Atendimento 24 Horas (UPAs), sendo duas para Cuiabá e duas para Várzea Grande.

"O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, sensibilizado com a necessidade de Mato Grosso em ter um Hospital Federal, sinalizou positivamente para a reivindicação de Mato Grosso.O Estado reivindica R$ 20 milhões do Ministério da Saúde .O Projeto total para a construção do hospital está orçado em R$ 84 milhões.A Universidade Federal de Mato Grosso já conseguiu o aporte de R$ 20 milhões em emendas por parte do Ministério da Educação.Com essa sensibilização vamos estar nos empenhando muito mais na alocação de recursos necessários a conclusão da obra.Para o ano que vem vamos buscar os R$ 43 milhões. Será uma obra prioritária para a Copa do Mundo 2014 que passará a contar com mais 250 leitos", afirmou Pedro Henry.

O secretario Pedro Henry disse que fez questão de anunciar os investimentos em companhia dos gestores da saúde pública de Cuiabá e Várzea Grande, e também do Tribunal de Contas, pelo argumento de que o Estado e os municípios não podem mais atuar em separado. Para que a saúde pública tenha gestão eficiente e os usuários do Sistema Único de Saúde os serviços que necessitam é necessária a união.

Já quanto a presença do conselheiro Humberto Bosaipo e seus auditores Pedro Henry disse que "o conselheiro será o relator das contas da Saúde e que é necessário as visitas in loco, nas unidades, para ter o conhecimento de como está o sistema e compartilhar as intenções do Estado e dos municípios em implantar o novo modelo de gestão agregando organizações sociais de saúde e ainda as parcerias necessárias que proporcionam à gestão da saúde pública agilidade nas ações e serviços, utilização dos instrumentos legais e que visem um entendimento comum na busca da desburocratização".

O secretario de Estado de Saúde, Pedro Henry, concluiu as visitas dizendo que está trabalhando em várias frentes nas ações emergenciais anunciadas no dia de hoje ao mesmo tempo em que trabalha no fortalecimento da regionalização da saúde e na gestão busca o novo modelo com organizações sociais de saúde.Já na aquisição de insumos hospitalares e medicamentos impõe também um novo modelo de aquisição por meio de Pregão Eletrônico ao mesmo tempo em que já tem estudos em andamento da revisão dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas do Ministerio da Saúde onde o Estado agrega novas patologias para as quais o Estado precisa suprir medicamentos evitando assim a judicialização da Saúde.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO