14.12.2010 | 22h08


POLÍCIA

Dunhill: João Vitor já respira sem aparelhos, mas segue na UTI

MAYARA MICHELS
MIDIANEWS

O jovem João Victor Leon Leite, 16, que caiu do 4º andar do Edifício Dunhill (condomínio de classe média alta, na Avenida Ipiranga, em Cuiabá), no último dia 28 de novembro, vem apresentando melhoras em seu quadro de saúde.  

As informações são de uma pessoa da família que não quis se identificar. Segundo ela, o adolescente está cada dia melhor, porém continua na UTI do Hospital Santa Rosa, no bairro do mesmo nome.

"Os médicos estão diminuindo, aos poucos os medicamentos, e ele já respira sem a ajuda dos aparelhos. Esperamos que ele saia logo da UTI", disse a fonte.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil disse ao MidiaNews que a delegada responsável pelas investigações, Liliane Muratta, da Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Deddica), já ouviu todas as pessoas que são consideradas necessárias para concluir o inquérito. Mais de 30 já prestaram depoimentos na delegacia.

A Polícia aguarda pelo depoimento do João Victor, bem como pelo resultado dos laudos definitivos do IML de Cuiabá, além do local, e das imagens do circuito interno, para concluir o caso.

"As investigações continuarão assim que o João Victor puder prestar depoimento e os laudos chegarem", disse a assessoria.

A Polícia Civil tem 30 dias para concluir o inquérito. Após este prazo, o
documento será protocolado no Fórum da Capital. E, se algum menor for indiciado, o caso será transferido para a Delegacia Especializada do Adolescente (DEA).

Circuito interno

De acordo com as imagens de circuito interno do edifício, o estudante João Vitor estava alcoolizado quando caiu do 4º andar. Porém, ele só caiu da janela do hall de elevador devido a um impulso. A informação foi dada, no começo do mês, pelo jornal Diário de Cuiabá, com base em informações da Polícia Civil.

Segundo a delegada Murata, diante da altura da janela do hall, "para cair, teria de se impulsionar". "Afinal, para uma pessoa de mais ou menos 1,70 metros, a janela bate no peito, de forma que seria impossível um simples deslize projetar o corpo inteiro para fora e provocar uma queda", disse.

Resta investigar quem deu o impulso: se o próprio João Vitor ou uma outra pessoa. A Polícia sabe, por meio imagens de circuito interno - o edifício dispõe de 16 câmeras -, que o estudante foi induzido por uma outra pessoa a entrar no elevador.

Essa pessoa também apertou o botão do elevador para o estudante subir, mas a Polícia não sabe se ela é mais um dos aproximadamente 30 jovens que participavam da mesma festa que João Vitor ou se tratava de um adulto.

 










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO