19.06.2019 | 09h33


CORDA NO PESCOÇO

Dona de lotérica é encontrada morta pelo marido em fazenda

Conforme versão apresentada pelo marido, sua esposa teria usado uma corda na área de serviço da fazenda para se enforcar.


DA REDAÇÃO

Eliane Cristina da Silva, 44 anos, dona de uma casa lotérica, foi encontrada morta na madrugada de terça-feira (18), em uma fazenda no município de Curvelândia (a 281 km de Cuiabá). Conforme o marido, a vítima teria usado uma corda amarrada na varanda da área de serviço para se enforcar.

A versão do marido é investigada pela Polícia Civil. Conforme o boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar, de acordo com relatos do marido, o fato teria acontecido durante a madrugada, quando Eliane se levantou às 4h da manhã para ir ao banheiro.

Após um período, o marido também se levantou para ir trabalhar e encontrou a esposa pendurada pelo pescoço.

Ainda conforme o boletim de ocorrência, um funcionário retirou a mulher do local, acreditando que ainda pudesse salvá-la. A vítima foi colocada em um sofá, onde foi notado que ela já não respirava mais.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) esteve no local analisando a cena do fato.

O caso é investigado pela Polícia Civil.

CVV

O Centro de Valorização a Vida (CVV) realiza o combate e a prevenção ao suicídio, no Brasil.

O CVV possui encontros presenciais do "Grupo de Apoio aos Sobreviventes do Suicídio". A roda de conversa ocorre todas as quintas-feiras, a partir das 19h30, na sede do CVV Cuiabá, que fica na rua Comandante Costa, número 296, Centro Norte de Cuiabá.  

As pessoas também podem procurar ajuda pelo telefone 188 (CVV), que funciona 24h. Atualmente a entidade conta com um grupo de dois mil voluntários que oferecem apoio emocional gratuito. 

Outras formas de atendimento do CVV  são por Skype, e-mail e pessoalmente. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.cvv.org.br.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER