01.10.2010 | 10h09


POLÍCIA

Desaparecidos em 2010 já somam 519 no estado



Silvana Ribas
Da Redação

Setenta e uma ocorrências foram registradas no mês de setembro pelo Setor de Desaparecidos da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Foram 41 homens e 30 mulheres que mobilizaram uma equipe para investigações, sendo que 52 foram localizados e 19 ainda continuam sendo procurados. O envolvimento com as drogas e os desentendimentos familiares lideram as motivações, assegura Gardel Ferreira Lima, responsável pelo setor.

Durante todo este ano já são 519 registros, sendo que 371 pessoas foram localizadas e outras 148 continuam sendo procuradas. Destas, 99 são homens e 49 mulheres. No ano de 2009, os registros apontaram para 531 ocorrências com a localização de 391 pessoas, restando 140 para serem localizadas. Em 36% dos casos registrados, o sumiço das pessoas estava ligado a cooptação para práticas criminosas e 32% tratava-se de problemas familiares que resultavam no abandono do lar.

A expectativa é que nos próximos meses os dados levantados pelo setor, em Mato Grosso, passem a integrar a rede Infoseg, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

De acordo com as novas orientações, os relatórios sobre cada caso seguem um padrão nacional, buscando a padronização das informações.

Gardel acredita que o aumento de registros está justamente na maior visibilidade e estrutura recebida pelo setor, e também pelo aumento de ocorrências e crimes decorrentes do uso de entorpecentes. A orientação da Polícia é que, em casos específicos, envolvendo crianças ou pessoas que nunca tenham ficado fora de casa por muito tempo, a comunicação seja feita nas primeiras horas, imediatamente após o sumiço.

Em muitos setores da Polícia ainda há a desinformação de que o registro só pode ser feito após 24 horas do fato, o que não é verdade.

Enigmático - Entre os desaparecimentos apontados como "enigmáticos", está o do estudante Carlos Douglas Lauer, 20, que saiu de casa no dia 11 de abril de 2008, depois de uma briga com o pai. Ele deixou a casa só com a roupa do corpo. Não deu entrada em novos documentos e também não fez qualquer retirada das contas bancárias, onde havia dinheiro suficiente para a compra de um veículo. Segundo Gardel, este é um dos casos que até hoje mobiliza os policiais em busca de pistas do jovem que simplesmente desapareceu sem deixar qualquer pista.

Serviço - Informações podem ser obtidas no setor de Desaparecidos pelos telefones 3901-4823 e 3901-4825 ou na avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), nº 1044.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO