13.12.2019 | 17h19


OPERAÇÃO FIM DA LINHA

Delegado afirma que fazendeiros estão envolvidos em esquema de roubo de defensivos

Donos de fazendas, segundo Frederico Murta, são responsáveis por receptar estas mercadorias.


DA REDAÇÃO

A Polícia Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), conclui que a organização criminosa, responsável por roubos de defensivos agrícolas, desmantelada na ‘Operação Fim da Linha’, tem diversos fazendeiros envolvidos no esquema. A quadrilha é autora de 25% dos ataques que ocorreram em Mato Grosso.

As declarações foram dadas à imprensa na manhã desta sexta-feira (12), pelo delegado responsável pelo caso, Frederico Murta.

“Não posso afirmar que existam fazendeiros por trás de organizar os roubos. Porém, certamente existem grandes fazendeiros que são responsáveis por receptar estas mercadorias. Cada uma das cargas é avaliada em R$ 1,5 milhão. Conseguimos recuperar R$ 2 milhões em produtos. Imagina isto multiplicado pelos 11 roubos que eles foram autores”, explicou Murta.

“Não posso afirmar que existam fazendeiros por trás de organizar os roubos. Porém, certamente existem grandes fazendeiros que são responsáveis por receptar estas mercadorias. Cada uma das cargas é avaliada em R$ 1,5 milhão. Conseguimos recuperar R$ 2 milhões em produtos. Imagina isto multiplicado pelos 11 roubos que eles foram autores”, explicou Murta.

O prejuízo supera o valor de R$ 5 milhões. As ações do grupo foram concentradas dentro do Estado, na região Médio-Norte. Segundo Murta, pessoas com dinheiro estão pagando pelos produtos.

“No momento em que não houver demandas, o crime deixará de ser atrativo”, afirma o delegado.

A próxima etapa é punir as pessoas que recebem os defensivos.

Fim da linha

A operação foi deflagrada na quinta-feira (12) e cumpriu 16 ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão, em seis cidades de Mato Grosso: Cuiabá, Primavera do Leste, Poxoréu, Sinop, Sorriso e Lucas do Rio verde.

Na ação foi realizada a detenção de 12 pessoas, sendo seis delas por ordens de prisão, apontados como integrantes do grupo criminoso, e outras seis em flagrante por crimes de posse ilegal de arma de fogo, munições e receptação de defensivos agrícolas e veículos roubados.

As investigações iniciaram há cerca de um ano, conseguindo desarticular a principal organização criminosa especializada em roubos de defensivos agrícolas no estado de Mato Grosso. Durante os trabalhos, foram identificados os 08 principais integrantes do grupo criminoso responsável por pelo menos 11 roubos realizados no período de um ano.

Por meio de ações de inteligência e análise de dados, a GCCO conseguiu mapear e identificar 11 fazendas situadas em diversos municípios, as quais foram vítimas do mesmo grupo criminoso.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO