11.12.2010 | 23h34


POLÍCIA

De cada três agências assaltadas, uma pertence ao Banco do Brasil

MIRO FERRAZ
DA REDAÇÃO

Uma em cada três agências bancárias assaltadas neste ano de 2010 pertencia ao Banco do Brasil. É o que aponta um levantamento feito pelo Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB-MT), na última semana. De acordo com o sindicato, até agora foram 18 assaltos, contra 20 realizados no ano passado, mas o ano ainda tem mais de duas semanas pela frente.

Os bancários classificam a situação como mais preocupante que no ano passado, porque as quadrilhas estão mais organizadas e mais violentas. Os dois últimos assaltos a banco no estado ocorreram em Denise e Campo Novo do Parecis. Ambos em agências do Banco do Brasil. De acordo com o levantamento, Bradesco e Sicredi também figuram entre os mais visados pelas quadrilhas que agem, normalmente, em período de pagamento de salários.

De acordo com o comandante Geral da PM-MT, coronel Osmar Farias, os bandidos agem sempre da mesma forma e não atuam somente em MT. “É uma quadrilha grande, com mais de 100 pessoas e com ramificações em todo o país”, destaca. As cidades preferências são pequenas e de grande circulação de dinheiro, por causa de atividades ligadas ao agronegócio, diz a polícia. Nessas cidades é comum haver poucos policiais em atuação.

No assalto em Campo Novo, O delegado Eder Cley de Santana Leal foi atingido por um tiro na perna. Outros dois policiais, um civil e um militar, também foram feridos. Após o roubo, os criminosos colocaram fogo na agência e fugiram em duas caminhonetes S-10. A mesma ação aconteceu em Denise, mas ninguém foi ferido.

Dos 18 assaltos praticados este ano, 14 foram em cidades pequenas do interior. Apenas quatro aconteceram na Capital. De acordo com reportagem publicada pelo Diário de Cuiabá, o Banco do Brasil diz estudar novas medidas para conter os assaltos e diz que suas agências são mais visadas por ter mais abrangência (o que não deixa de ser uma verdade). Segundo o banco, as agências de Denise e Campo Novo dos Parecis continuam fechadas e não abrirão enquanto não houver condições suficientes de segurança.

Até agora, a polícia ainda não tem pistas da quadrilha, mas através do Serviço de Inteligência, já se sabe alguns nomes, inclusive do que seria o chefe do bando. A polícia identificou o bandido, Raimundo Gonçalves da Silva, o “Tio”,  depois que ele foi reconhecido por foto por algumas testemunhas de assaltos aos bancos no interior.

Cerca de 60 homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam) e Polícia, com apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas, está intensificando as buscas no médio norte. 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO