24.03.2020 | 07h29


POLÍCIA / CASOS DE FAMÍLIA

Criança de 4 anos pega espingarda, dispara e acerta mãe na barriga

Pai relatou que família tinha ido pescar e, num descuido, filho acabou pegando a arma


DA REDAÇÃO

Um menino de 4 anos atirou, acidentalmente, contra a própria mãe durante uma pescaria em família na manhã de domingo (22) numa região de mata do município de Nova Olímpia (205 km da Capital).

A mulher foi socorrida pelo marido e encaminhada às pressas ao Hospital e Maternidade do município, onde deu entrada com um ferimento à bala na região da barriga. Devido à gravidade e necessidade de cuidados mais específicos, a paciente deverá ser reencaminhada para o Hospital de Tangará da Serra (40 km de Nova Olímpia).

Não há informações sobre o atual estado de saúde da paciente.

A Polícia Militar (PM) foi acionada pelos profissionais da unidade da saúde após a vítima dar entrada ferida por um tiro.

O esposo da vítima relatou aos militares que saiu com a mulher e os três filhos para pescar em um córrego na região. Por ser uma área onde regularmente aparecem animais selvagens, o homem disse que por segurança levou a arma de fogo, uma espingarda modificada para munição de calibre 22.

Questionado sobre o disparo, o pai da criança disse que a família parou em um ponto para caçar minhocas, quando a arma ficou apoiada em uma árvore, momento em que o filho de 4 anos pegou a espingarda e brincando apertou o gatilho, atingindo a mãe.

A ocorrência, registrada por crime de lesão corporal e porte ilegal de arma de fogo, foi encaminhada à Polícia Civil, responsável por investigar o caso.

A espingarda foi apreendida com 4 munições intactas e uma deflagrada.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO