alexametrics
27.10.2010 | 21h42


POLÍCIA

Carretas não podem rodar na cidade durante o dia a partir desta quinta

De Barra do Garças - Ronaldo Couto

A proibição de carretas no perímetro urbano de Barra do Garças, durante o dia, começa nesta quinta-feira (28) criando um horário alternativo para as carretas passarem pela cidade somente da meia-noite às 6 da manhã, acatando a determinação do Ministério Público Estadual (MPE). O prefeito Wanderlei Farias anunciou o decreto na manhã desta segunda-feira em conjunto com os prefeitos de Aragarças, Marcos Antônio (PT), e de Pontal, Gerson Rosa (DEM).

A decisão de permitir que as carretas passem somente de meia-noite às 6 horas da manhã se deve à reforma das pontes e caos que virou o centro da cidade, inviabilizando o comércio local e prejudicando moradores.

A reforma das pontes começou há uma semana e pela previsão da empreiteira vai demorar de 45 dias a 3 meses. Cerca de 1.200 carretas passam por dia pela Barra com a produção de soja de várias regiões de MT.

A situação foi denunciada pelas entidades de classe: Câmara de Diri8gentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Industrial de Barra do Garças (Acebag) e subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BG) ao Ministério Público através do promotor Marcos Brant que notificou a prefeitura para proibir as carretas pelo perímetro urbano durante o dia.

De acordo com o advogado do prefeito, Edmar Júnior, a prefeitura vai aproveitar esse prazo até quinta para avisar aos caminhoneiros e transportadoras e aos órgãos de fiscalização como DNIT, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Policia Militar (PM) sobre a medida.

O promotor Marcos Brant disse no seu despacho que os caminhoneiros têm três rotas alternativas como Rondonópolis, Alto Araguaia e Araguaiana para seguirem viagem enquanto que Barra só tem uma. “Não temos como tirar a cidade da rodovia, mas podemos adequar o trajeto da rodovia a realidade da cidade” ponderou Brant. A solução para o problema das carretas é a construção do anel viário avaliado em R$ 80 milhões, mas que ainda depende de licença ambiental.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime