21.08.2010 | 12h29


POLÍCIA

Capitólio: Vítima morre 6 dias depois



Seis dias depois de ser atingido a tiros ao deixar uma boate, em Cuiabá, Willian da Silva Gomes, 28, morreu. Ele estava internado no Pronto-Socorro da Capital. O atentado foi na sexta-feira (13), quando um grupo de 4 rapazes que se envolveu com ele em uma briga dentro da boate Capitólio o cercou e fez 5 disparos contra o veículo Pálio que conduzia. O crime aconteceu a poucos metros de uma viatura da Polícia Militar que havia sido chamada por causa da briga.

Willian havia se recusado a ser transportado em uma ambulância do Samu até o hospital, já que apresentava um corte profundo na cabeça, resultante da briga. Quando pegou o carro no estacionamento, foi cercado pelo grupo que fez os disparos e fugiu. Três acusados foram presos em seguida, mas o autor do disparo, o adolescente W.C,S, 17, fugiu. A arma usada para o crime, um revólver calibre 38, foi recuperado. Estava na quitinete em que o adolescente mora, no bairro Pedregal.

No dia do crime, Willian havia se identificado como Willian Taques Costa. Segundo a Polícia, a mudança do nome possivelmente se deu pelo fato da vítima ter passagens por furto e roubo e estar em liberdade condicional. O autor dos disparos estava em um veículo Celta branco, em companhia do irmão Wellinton da Costa Souza, 24, de Rafael Magalhães Couto, 20, e Sindylan Barbosa da Cruz, 21.

Tráfico - Uma dívida de drogas foi o que motivou a execução do estudante Diego Alex Correia de Andrade, 24, morto com 6 tiros no bairro Praeiro. O crime aconteceu por volta das 17h de quinta-feira (19), na rua Maria Conceição, em frente ao Mercado Salles. A vítima foi abordada por 2 homens em uma bicicleta. Depois de uma curta discussão, um deles sacou uma arma e fez o primeiro disparo. Segundo testemunhas, mesmo depois de Diego ter caído, o criminoso fez outros 5 disparos contra o estudante que foi levado às pressas para o Pronto-Socorro de Cuiabá, aonde chegou morto.

Os 2 acusados do crime são João Carneiro Sobrinho, 20, e o adolescente E.S.C., 16, que fugiram em seguida e não foram localizados. De acordo com um irmão da vítima, há 40 dias o adolescente E.S.C. e um traficante conhecido como "Adrianinho" procuraram Diego e o ameaçaram, caso não pagasse uma dívida. A família acredita que foi a mando do traficante que o jovem foi morto.

Operação - Policias da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) realizaram na manhã de ontem uma operação para cumprir mandados de busca e apreensão em 4 residências em Várzea Grande. São locais suspeitos que apareceram em investigações de assassinatos. Um revólver foi apreendido. Este mês já são 9 execuções na cidade.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO