13.08.2019 | 11h00


RELATO DO PAI

Blogueira estava a mais de 100km/h e furou sinal vermelho; menino de 3 anos morreu

Lidiane Campos é esposa do ex-deputado Adilton Sachetti. Ela é acusada de atropelar família e matar menino de 3 anos. Os pais dizem que ela mente ao dizer que não fugiu do local e nega que ela tenha sido ameaçada


DA REDAÇÃO

Marcos Souza da Costa, 30 anos e Dayane Palmeiras dos Santos, 35 anos, pai e madrasta do menino de três anos que morreu, após ser atropelado junto com eles, pela caminhonete Toyota SW4, conduzida pela blogueira Lidiane Campos, em Rondonópolis (212 km de Cuiabá), afirmaram ao , que ela avançou o sinal vermelho a mais de 100km/h, quando atingiu a moto em que a família estava, ao passar por um cruzamento na região central da cidade.

O pai do menino, ainda reforçou que a blogueira, que é mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB) estaria mentindo ao alegar que não fugiu do local e que foi ameaçada por populares.

As declarações vão de encontro com as informações e argumentos prestados pela defesa e assessoria da blogueira, sobre o acidente ocorrido na noite de domingo (11).

"Ela estava vindo em uma velocidade muito grande. Quando olhei para o lado vi a velocidade que ela vinha, não deu tempo. O impacto foi tão grande que a frende da caminhonete acabou”, disse Marcos.

“Estamos passando uma situação terrível, uma dor que não tem tamanho. Ela estava vindo em uma velocidade muito grande. Quando olhei para o lado vi a velocidade que ela vinha, não deu tempo. O impacto foi tão grande que a frende da caminhonete acabou”, disse Marcos.

A assessoria de Lidiane havia informado que ela não estava em alta velocidade.

RepórterMT/Reprodução

Lidiane Campos, noiva de Adilton Sachetti

Blogueira pode responder por homicídio culposo.

A defesa da blogueira alega que ela entrou em estado de pânico após o acidente ao ser ameaçada por pessoas que estavam no local e teria sido retirada do local por um homem que viu a sitiação e quis evitar que ela fosse linchada. A família diz que essa versão é mentirosa e que Lidiane teria fugido imediatamente após o atropelamento.

“Ela não prestou nenhum tipo de socorro. Do jeito que ela bateu, veio a mais de 100 km/h por hora. Meu marido anda devagar e ela ainda invadiu o sinal. Eu falei ‘amor, essa mulher vai bater’ e foi dito e feito. Eu caí desacordada e ele caiu do meu lado”, disse Dayane Palmeiras dos Santos, 35 anos.

Entenda o caso

O acidente, conforme boletim de ocorrência, aconteceu por volta das 18h40, no cruzamento da rua XV de Novembro com a Avenida Tiradentes, região central de Rondonópolis.

Lidiane teria fugido do local do acidente e abandonado o carro algumas quadras depois. O veículo foi apreendido e encaminhado para a delegacia.

O casal que estava na moto foi socorrido e encaminhado para uma unidade de saúde. O filho deles morreu ainda no local.

O advogado também esteve no local da ocorrência prestando informações, como a identidade de Lidiane, por exemplo.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

CURIMBATAMT  13.08.19 14h21
O PAU QUE BATE EM CHICO (PRETO,POBRE E P...) , DEVE BATER NO FRANCISCO (ESPOSA DE EX-DEPUTADO, MADAME "INFLUENCER DIGITAL", E RALAY SOCYT .

Responder

0
0
joana  13.08.19 11h15
se bateram com capacetes no carro deve ter marca. a frente do carro está bem danificada. não acionou o air bag e não tem freada no chão por que freiou?? foi feito bafometro nos 2 motoristas? deve ter cameras na redondeza. tudo sera investigado e vamos confar na justiça dos homens e de Deus

Responder

3
2

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER