28.02.2020 | 09h25


POLÍCIA / VIOLÊNCIA SEM FIM

Bandidos invadem loja e matam empresário com cinco tiros

O crime aconteceu no bairro Parque da Araras, em Sinop. Polícia Civil investiga o caso


DA REDAÇÃO

O comerciante Robson Dahlison Pires da Costa, 25 anos, foi executado com pelo menos cinco tiros dentro de seu estabelecimento, por dois homens armados que invadiram o local, no final da manhã dessa quinta-feira (27) no bairro Parque da Araras, em Sinop (500 km da Capital).

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) prestou atendimento de primeiros socorros e encaminhou o paciente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), devido à gravidade dos ferimentos, porém, Robson não resistiu e morreu após dar entrada na unidade de saúde.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia antes de ser liberado para procedimentos fúnebres junto à família.

De acordo com testemunhas, por volta das 10h30, um carro preto, modelo não identificado, chegou ao endereço com três ocupantes, quando dois homens armados desembarcaram, invadiram o estabelecimento e em seguida vários disparos de arma de fogo foram ouvidos pela vizinhança. Os assassinos voltaram para o carro e fugiram.

Não há informações sobre a motivação do crime.

A Polícia Militar (PM) foi acionada, ouviu relato de uma testemunha e saiu em rondas pela região buscando pelos acusados de acordo com as características repassadas, porém, ninguém foi localizado.

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionada, esteve na cena do crime, deu início às investigações e buscas pelos autores do homicídio.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO