10.08.2010 | 12h26


POLÍCIA

Bandidos atacam no centro de Cuiabá e levam R$ 50 mil de empresário



Bandidos levaram R$ 50 mil reais de um empresário de Cuiabá na manhã desta segunda-feira. O assalto aconteceu no centro da capital, na área bancária onde estão as agências das maiores instituições bancárias do país. E os ladrões não precisaram de nenhum grande plano de engenharia para executar o crime. Eles chegaram a pé e também utilizaram uma motocicleta para cometer o crime. Há suspeita de outro segundo veículo envolvido, ainda não identificado. Os criminosos renderam um senhor de aproximadamente 50 anos na porta do banco e fugiram de cara limpa, com tranquilidade. O dinheiro da empresa seria depositado para pagar várias duplicatas e outros compromissos. 

A vítima ficou muito assustada no momento do assalto, mas já se recuperou e passa bem. A suspeita é de que o crime vinha sendo tramado há algumas semanas. Os bandidos já estavam acompanhando a movimentação na empresa ou teriam tido acesso a alguma informação privilegiada.

Como os bandidos executaram o crime

Há uma semana outros funcionários tiveram a sensação de estarem sendo seguidos, porém, não houve assalto. Mas nesta segunda-feira os bandidos executaram o plano. O assalto ocorreu por volta das 10h50. O empresário saiu da loja com o malote de dinheiro em um automóvel de cor verde escuro. Ao chegar na agência bancária ele entrou no estacionamento e parou o carro.

Alguns segundos depois que o carro entra, uma câmera mostra a entrada do primeiro assaltante. Ele vem da direita, sentido contrário do percurso feito pelo carro da vítima. O assaltante vem andando a pé e falando ao telefone celular. Ele passa traquilamente pelo portão do estacionamento em direção à agência bancária. O homem veste uma camiseta de tom marrom, estanpada com uma marca na frente, e calça jeans. Ele vai direto à vítima, que neste momento havia saído do carro e já estava descendo a escadaria que dá acesso ao interior da agência. Ele foi rendido nesse momento, já na escada pouco antes da porta do banco.

Enquanto esse primeiro bandido rende a vítima, a imagem da câmera mostra o segundo assaltante. É um homem alto, forte, vestindo camiseta branca que também entra andando pelo portão do estacionamento, só que ele vai direto ao segurança, encosta nele e os dois saem andando. As informações levantadas até o momento são que esse segundo assaltante rendeu o segurança. Ele teria falado que era um assalto, outros comparsas davam cobertura e que o segurança não deveria reagir.

Na sequência, as imagens mostram o terceiro passo do crime. Um terceiro bandido entra na cena do assalto. É um motociclista que surge de repente, chega a entrar alguns metros no estacionamento já preparado para a fuga. O homem de camiseta marrom, que executou o crime, sai correndo da agência em direção à motocicleta, sobe, e os dois fogem. Dá pra observar que o carona carrega um pacote onde está o dinheiro da vítima. A placa da motocicleta está dobrada e não dá pra identificar os números.

Já o assaltante de camiseta branca que rendeu o vigia do banco também corre a pé com destino à rua e desaparece. A vítima acredita que uma segunda motocicleta ou um automóvel estaria dando cobertura, fugindo em seguida com o segundo assaltante.

Outras suspeitas sobre a ação dos bandidos

Pela forma como os homens que executaram o crime agiram, há algumas suspeitas. Eles poderiam estar seguindo a vítima desde a empresa, ou parte do bando seguiu a vítima e outra parte já estaria de plantão nas redondezas da agência bancária. A interrogação é: o primeiro assaltante de camiseta marrom que entra no estacionamento caminhanho no sentido contrário de onde veio a vítima. A dúvida é se o primeiro bandido já estava no local esperando ou se ele chegou à agência em um automóvel seguindo a vítima desde a empresa.

A fuga deles foi bem tramada. Depois de pegar o dinheiro, o de camisa marrom corre para a motocicleta e o de camisa branca corre para a rua, provavelmente para um veículo ou motocicleta que trouxe o primeiro assaltante e já o aguardava. A polícia agora vai investigar o caso para tentar desvendar o crime.

Segundo o empresário, a situação é muito complicada. "Fazemos o possível para evitar esses assaltos. Mudamos a rotina, trocamos de carro, mas não tem jeito! Uma hora você tem que levar o dinheiro ao banco. Vai ficar estocando dinheiro na empresa? A segurança armada é muito cara e pagar uma empresa de carro forte também! Para uma empresa pequena ou média esse custo é inviável. E para que servem os impostos que nós pagarmos para obtermos segurança pública?", reclamou o empresário.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO