alexametrics
17.12.2010 | 23h25


POLÍCIA

Bandidos arrombam 104 caixas eletrônicos em MT; prejuízo é de R$ 10 mi

ANDRÉ MICHELLS
DA REDAÇÃO

A polícia já investigou mais de 300 pessoas este ano, suspeitas de participar de quadrilhas que assaltam caixas eletrônicos de bancos. Em 2010, até aqui, foram arrombados 104 terminais em todo o estado.  Média de 3,4 roubos por dia. Os bandidos usam maçaricos para perfurar as máquinas e, em alguns casos, chegam a queimar o dinheiro. 

Eles são organizados e invadem prédios públicos, escolas, empresas e universidades atrás do dinheiro dos caixas. No assalto em uma das universidades da Capital, os bandidos causaram pânico entre os funcionários e chegaram a deixar uma metralhadora no local.

Com dados assim, o estado lidera mais uma triste estatística. É o campeão nacional em arrombamento de caixas eletrônicos. Os bandidos entram com mochilas nas costas e formam uma barreira para que não haja visão do movimento interno, pelo lado de fora. A maioria dos bancos possui fachada de vidro. Eles atuam em conjunto. Enquanto um grupo fica do lado de dentro da agência, outra parte da quadrilha fica do lado de fora monitorando a movimentação pelo celular.

Apesar disso, nem sempre os bandidos vencem. Na última segunda-feira (13), de madrugada, policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar (1ºBPM) prenderam em flagrante uma quadrilha composta por cinco marginais, que se preparavam para arrombar o caixa do Banco do Brasil, na sede do Ganha Tempo, na Capital. Eles chegaram a abrir a janela do prédio.

No dia anterior, os mesmos policiais frustraram outra tentativa de roubo, com o golpe conhecido como “chupa-cabra”. Nesse método os bandidos colocam no terminal eletrônico, um equipamento conhecido como dispositivo de furto de dados e senhas.  “Depois que o cliente usa o cartão no terminal, eles fazem saques da conta. O dono só descobre no dia seguinte”, informou o tenente Guilherme Gahyva, da PM.

De acordo com a delegada Ana Cristina Feldner, que comanda a investigações, há várias quadrilhas e muitas pessoas atuando neste tipo de crime no estado. Ela diz que toda noite são registradas pelo menos cinco ações entre tentativas e roubos consumados. E para coibir o avanço das quadrilhas é necessário um combate mais efetivo por parte das forças repressivas. "Temos que ter mais rigor e mais empenho para que se tenha efetivamente um combate”, ressaltou a delegada em entrevista para a Globo News.

De cada caixa arrombado, os bandidos conseguem retirar até R$ 400 mil, dependendo do dia. No dia 15 de setembro, por exemplo,  o caixa que fica na sede da Secretaria de Educação de Cuiabá foi arrombado (pela segunda vez). Os bandidos prenderam os guardas em uma sala e passaram quase 3 horas no local fazendo o “limpa”. Detalhe, em plena luz do dia. Os caixas haviam sido abastecidos no dia anterior e os bandidos fugiram levando cerca de R$ 200 mil do banco Real/Santander. Segundo informações extraoficiais, os prejuízos para os bancos já podem ter passado dos R$ 10 milhões este ano, em MT.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime