24.07.2010 | 12h40


POLÍCIA

Assassino é condenado a 24 anos de prisão em Juína



 

A família de Ilda Pedrotti, residentes em Juína, norte de Mato Grosso, comemorou a condenação de Sirno Fraitag, acusado de matar a esposa de um empresário membro da família, hoje falecido. Ilda Pedrott, 56 anos, foi morta de forma brutal, o crime deixou a comunidade revoltada.

 O crime ocorreu em junho de 2000. Segundo levantamento, a vitima foi morta enforcada, e deixada jogada em um matagal, a 150 metros da MT 170. Já o seu veiculo foi localizado próximo o albergue no módulo-5. Os motivos do crime segundo acredita a Promotora Janine Barros, foi vingança.

 

No primeiro júri popular realizado há 5 anos, o acusado foi preso e cumpriu uma pena de 4 anos de prisão. Sirno foi absolvido e o Ministério Público recorreu da sentença.

 

Já residindo no estado de Rondônia, nesta semana mais uma vez ele sentou no banco dos réus, que contou com três advogados de defesa, mas os jurados acataram as denúncias do Ministério Público e o Juiz Edson Dias Reis, aplicou à pena: foram mais de 24 anos de prisão pela morte de Ilda Pedrotti.

 

Após a decisão sentencial, Sirno que estava cumprindo a pena em liberdade foi encaminhado para a cadeia pública do município. Como já cumpriu cerca de 4 anos de prisão, deverá ser beneficiado nos próximos dias com a semi- liberdade.

 











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO