11.09.2017 | 11h49


EX-CHEFÃO DO CRIME

Arcanjo chega esta semana a Cuiabá; agentes prisionais entram em greve

O ex-bicheiro está preso há cerca de 10 anos e já passou por unidades de segurança máxima em Campo Grande (MS) e em Porto Velho (RO).


DA REDAÇÃO

O ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro deve ser transferido do presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, onde está desde 2016, para Penitenciária Central do Estado (PCE), o antigo Pascoal Ramos em Cuiabá, na próxima quinta-feira (14). 

A informação foi confirmada ao site , na manhã desta segunda-feira (11), pelo advogado Paulo Fabrinny.

“A decisão que foi tomada no Rio Grande do Norte dá até o próximo dia 14 para ele chegar [ao Estado] e não acredito que essa data seja alterada”, afirmou a defesa.

João Arcanjo Ribeiro deve chegar a Mato Grosso em meio à greve dos agentes prisionais que, nesta terça-feira (12), organizam uma assembleia geral apenas para definir o início da paralisação.

“Há possibilidade de greve é grande. Teremos uma assembleia nesta terça-feira e a greve deve começar no fim de semana. (...) a paralisação é por causa do não cumprimento de pautas como os direitos dos agentes que estão sendo suprimidos, entre eles o de progressão na carreira, a qual muitos já têm direito, e não pode devido à alteração de uma lei”, explicou o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen), João Batista.

João Batista revelou ainda que João Arcanjo Ribeiro deve cumprir pena em uma das celas do raio 5 da PGE, é neste setor que ficam detentos de alta periculosidade como Comando Vermelho e Primeiro Comando da Capital (PCC).

“Ele ficará na mesma ala dos outros presos, acredito que no raio 5, porém, em cubículo sozinho”, contou o sindicalista.

O sindicalista também afirma que por se tratar de um preso “famoso”, há preocupação de que ele seja usado como isca para que outros presos façam rebelião dentro da penitenciária.

“Nós temos um receio porque a unidade está superlotada e não temos um lugar específico. (...) Existe uma possibilidade pequena [de que outros presos possam fazê-lo como refém], mas existe”, explicou.

Transferência

A determinação de trazer Arcanjo a Mato Grosso foi da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. A decisão foi aprovada de forma unânime pelos desembargadores Paulo da Cunha, que é relator do caso, Rondon Bassil e Gilberto Giraldelli, que acompanharam o voto pelo retorno de Arcanjo.

A medida ocorreu em resposta ao pedido da defesa do ex-bicheiro, que requereu seu retorno para Cuiabá, sob a alegação de que não há elementos suficientes para manter o preso no Grande do Norte ou em qualquer outra penitenciária federal.

O ex-bicheiro está preso há cerca de 10 anos e já passou por unidades de segurança máxima em Campo Grande (MS) e em Porto Velho (RO).

Em 2007 Arcanjo, que era conhecido como "comendador", pelo título recebido, foi transferido da PCE para o presídio federal em Mato Grosso do Sul porque continuava comandando o jogo do bicho, de dentro da cadeia em Cuiabá.











(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

JONH DOE  12.09.17 08h09
o Rober é carcereiroooooo é carcereirooooooo carcereiroooooo hauhuahuahauhau

Responder

2
1
JONH DOE  12.09.17 08h08
O papai voltou o papai voltou...

Responder

2
0
Altamir Sampaio   12.09.17 07h07
Esses carcereiros já recebem muito bem e vivem fazendo anarquia e nem trabalham sintetizando não trabalham tanto assim pra reclamarem assim ganham até mais que merecem pq quem trabalha nas unidades são os próprios reclusos faz mi o favor vão trabalhar a.grande maioria é de baixa instrução melhor serem exonerados e colocarem pessoas realmente capacitadas neste ofício.

Responder

4
1
rober  11.09.17 22h23
Carcereiro e a mãe..Lei complementar 507/2013 agentes penitenciários..Carcereiro eram servidores que na epoca eram integrante da PJC...

Responder

4
1

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO