alexametrics
25.01.2017 | 10h30


PODERES / "ELEFANTE BRANCO"

Wilson diz que ordem de Taques é terceirizar a Arena Pantanal

O secretário de cidades diz que a medida vai evitar que o Estado continue gastando R$ 700 mil ao mês para a manutenção do estádio


DA REDAÇÃO

O secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos (PSDB), anunciou que a Arena Pantanal depois totalmente pronta será terceirizada para empresas privadas que tiverem interesse em investir na apresentação de partidas de futebol.

“Isso foi o que me pediu o governador e já está decidido. Vai ser terceirizada. Só de energia [elétrica] nós gastamos mais de R$ 300 mil”, disse

Wilson disse que a determinação para a terceirização partiu do governador Pedro Taques (PSDB) que tem uma despesa mensal com o estádio de futebol de Cuiabá de mais de R$ 700 mil para a manutenção. O montante chega a R$ 8,4 milhões por ano.

“Isso foi o que me pediu o governador e já está decidido. Vai ser terceirizada. Só de energia [elétrica] nós gastamos mais de R$ 300 mil”, disse na noite desta terça-feira (24), ao programa Resumo do Dia.

O secretário argumentou que os campeonatos estaduais não estariam à altura do porte da Arena, dando a entender que ela seria melhor utilizada para a disputa de partidas de outros clubes com maior número de torcedores.

Wilson, no entanto, justificou que a Capital não perderá “espaço” nos jogos de times mato-grossenses, pois o governador destinou o repasse de R$ 500 mil para a reestruturação do estádio municipal Presidente Eurico Gaspar Dutra, o “Dutrinha”.

“Queremos que o Dutrinha volte a ser o grande palco do futebol estadual”, garantiu.

Conforme divulgou o , Wilson estaria tratando a terceirização da Arena Pantanal como grupo do ex-jogador de futebol, Ronaldo 'Fenômeno'.

Arena Pantanal

O estádio construído para abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014 teve apenas quatro partidas de seleções de outros países durante o advento esportivo com sede no Brasil.

O investimento total na construção foi de R$ 454,2 milhões, incluindo obras do entorno do estádio. No entanto, os números do Governo indicam que R$ 600 milhões já foram empregados à estrutura que ainda não está completamente concluída.

Além de problemas estruturais na área externa, Wilson disse que vários outros problemas foram encontrados na parte interior do prédio. Defeito com os assentos, placar eletrônico, caixa d’água, catracas e até no gramado. Temos que arrumar todos esses pontos e deixá-la totalmente entregue”, disse.

De acordo com o Wilson, a Secid está em adiantada negociação com o Consórcio responsável pelas obras para encontrar uma solução financeiramente viável para ambas as partes, atendendo às ações judiciais sobre o contrato.

Sem futebol

Por deficiências estruturais, a Arena Pantanal deixou de sede do jogo entre Brasil e Paraguai, válido pela 14ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) oficializou a Arena Itaquera, em São Paulo, como palco do encontro, no dia 28 de março.

No final de 2016, a CBF deu um prazo de 30 dias - a contar de 3 de janeiro - para que o Governo de Mato Grosso adequasse a Arena às condições necessárias para ser sede de um jogo da Seleção.

Para receber a partida, o estádio precisaria atender a vários quesitos - entre eles, o pleno funcionamento do placar eletrônico (que funcionou, pela última vez, na Copa do Mundo, em junho de 2014), das catracas eletrônicas de acesso, das cabines de imprensa e do sistema de som.











COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO

Bebe Prime