26.04.2019 | 11h20


SENADORA CASSADA

Desembargador aprova recurso de Selma e diz que compreende choro

"Acho que o melhor caminho é que essa questão seja submetida ao TSE, para que ela exerça com plenitude seu direito de defesa e seja lá a decisão que for dada, nós do ter estamos aqui para acatar”, disse


DA REPORTAGEM

O desembargador Sebastião Barbosa, que assumiu a vice-presidência do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE), nesta sexta-feira (26), declarou que é justo que a senadora Selma Arruda (PSL), que teve o mandato cassado, pelo Pleno, no último dia 10, recorra ao Superior Tribunal Eleitoral (TSE), mas evitou comentar a afirmação da parlamentar de que a condenação no Estado foi resultado de perseguição política.

Selma foi condenada, por unanimidade no TRE, pelo crime de caixa 2 e abuso de poder econômico, por gastos antes do período permitido em campanha eleitoral.

“Fica difícil falar, porque essa expressão de perseguição política é uma coisa muito aberta, não fala um fato concreto. Eu não posso comentar um fato superficial de uma coisa genérica”, declarou.

Nesta semana ela chorou na tribuna do Senado, lembrou sua trajetória como juíza que prendeu líderes políticos em Mato Grosso, como o ex-governador Silval Barbosa e o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva e disse que a cassação de seu mandato era represália política por suas ações como juíza no combate à corrupção.

Sebastião Barbosa avaliou que as declarações da senadora foram genéricas e não poderia comentar sobre essa acusação.

“Fica difícil falar, porque essa expressão de perseguição política é uma coisa muito aberta, não fala um fato concreto. Eu não posso comentar um fato superficial de uma coisa genérica”, declarou.

Contudo o desembargador entende que a senadora estava sob forte emoção e o melhor nesse momento é que o caso seja reavaliado pelo TSE.

“A emoção dela é compreensível, no momento que ela tenha passado por essa questão, mas acho que o melhor caminho é que essa questão seja submetida ao TSE"

“A emoção dela é compreensível, no momento que ela tenha passado por essa questão, mas acho que o melhor caminho é que essa questão seja submetida ao TSE, para que  ela exerça com plenitude seu direito de defesa e seja lá a decisão que for dada, nós do ter estamos aqui para acatar”, concluiu o vice-presidente.

Na oportunidade, o novo presidente do TRE, desembargador Gilberto Giraldelli comentou que a Justiça Eleitoral ainda não está pronta, caso haja a necessidade de realizar uma eleição suplementar, se Selma Arruda perder o recurso no TSE e também tiver o mandato cassado na instância superior, o pleito extemporâneo custaria cerca de R$ 11 milhões aos cofres públicos.

Leia mais:

Selma chora e diz que cassação é resultado de perseguição política

 

 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes  26.04.19 13h44
Só existe uma regra nacional: Qualquer cidadão/cidadã brasileiro(a) só é candidato(a) a algum cargo (de presidente, de governador, de prefeito, de senador, de deputados federal e estadual, de vereador) DEPOIS que passa na Convenção de um Partido Político e registra a candidatura num TRE. Se essa é a regra, porque intrometeram na vida da Juíza SELMA, quando ela não era candidata a nada, pois nem tinha havido Convenção Partidária e registrado a candidatura? Espero que o TSE, faça esse divisor entre o período ANTES da Convenção e registro da Candidatura e DEPOIS...Tem que analisar o período da data de registro da candidatura, até a contagem final dos votos. Período anterior a isso, tem que ser excluído. Movimentação de conta bancária, empréstimo, contratação de profissional, feita ANTES não pode ser considerada, porque a Juíza não era ainda candidata a nada. Ano que vem terá eleição pra Prefeito de Cuiabá, tudo indica que haverá muitos candidatos...as Convenções Partidárias acontecerão no Mês de Agosto/2020. Não pode fuçar a vida dos inúmeros candidatos a Prefeito de Cuiabá, ANTES que eles passem na Convenção e registrem as candidaturas.

Responder

24
4
Eduardo  27.04.19 16h23
Vivi pra ver gente passando pano para políticos. Mas Moro disse que Caixa Dois não é crime, então está tudo bem.

Responder

0
0
eliezer  26.04.19 12h09
queria so entender, porque ela esta sendo cassada por abuso de poder economico e caixa 2 brincadeira nè sera que a justiça acha que o povo e bobo, pos outros candidatos afortunados gastaram dez veses mas e isso pra justica nao é abuso de poder economico ,brincadeira de mal gosto

Responder

25
6

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER