13.08.2019 | 17h40


LAVAGEM DE DINHEIRO

Tribunal de Justiça anula condenação de 18 anos para Humberto Bosaipo

O relator do ação condenatória, desembargador Marcos Machado, entendeu que teses de juíza Selma não caracterizam parcialidade em seu julgamento inicial


DA REDAÇÃO

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) anulou, na tarde desta terça-feira (13), a sentença condenatória de 18 anos e 4 meses de reclusão do ex-deputado e ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Humberto Bosaipo, acusado pelos crimes de lavagem de dinheiro e peculato.

A decisão, acatada com unanimidade, foi tomada mediante relatório produzido pelo desembargador Marcos Machado, onde consta que a juíza da causa, à época, Selma Arruda, priorizou a ação penal pelo fato de o processo ser de “interesse midiático”.

Em seu relatório, o desembargador Marcos Machado entendeu que as três teses apresentadas pela titular da Vara Especializada em Crimes de Corrupção e Financeiros, em face do ex-conselheiro, não demostrava nenhum tipo de parcialidade.

“Assim sendo, as três teses não se prestam para caracterizar possível parcialidade, razão pela qual devem ser rechaçadas monocraticamente, nos termos do Código de Processo Penal, no artigo 100”, cita trecho de documento. O voto do relator foi seguido pelos desembargadores Orlando Perri e Paulo da Cunha.

Selma Arruda condenou o ex-conselheiro por envolvimento em um esquema de fraude, mediante folhas de cheque, na Assembleia Legislativa, que culminou na Operação “Arca de Noé”.

As investigações também desvendaram a participação do ex-comendador João Arcanjo Ribeiro que, atualmente, encontra-se preso por ser apontado como o chefe e uma organização criminosa que comandava o jogo do bicho no Estado.











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Paulo Mattos  13.08.19 18h52
Mato Grosso está repleto de bandidos contumazes, condenados em primeira e segunda instância, que causaram definitivos prejuízos em nossa economia e, por consequência, atravancando o nosso desenvolvimento, com reflexos diretos em nossa sociedade. A duras penas estamos conseguindo, todos juntos, e muito embora os descontentamentos, soerguer-nos como Estado pujante e viável economicamente, com condições de distribuir suas riquezas aos nossos habitantes. Silval Barbosa,Éder de Moraes, são alguns dos exemplos mais reluzentes da bandidagem impune. Ou punidos de mentirinha, num deboche ao nosso povo. Estão ai exercendo suas funções empresariais, cada vez mais ricos, investindo o dinheiro, e não foi pouco, que nos roubaram. Por quê Humberto Bosaipo, um "ladrão de galinhas" face a esses dois e mais uma centena de larápios, deveria ser punido com uma pena tão extensa e tão injusta ? Desta feita, agiu muito bem o TJ.

Responder

0
0
Clarice   13.08.19 18h40
E ainda querem falar em moralização!E depois ele ainda entrará com danos morais!!

Responder

0
0

Enquete

ABUSO DE AUTORIDADE

Você concorda com aprovação da Lei para punir juízes?

Concordo: MP e Juízes erram muito e prejudicam pessoas de bem

Não concordo. A aprovação da lei é que é um abuso

Bolsonaro deveria vetar a lei

Bolsonaro deve sancionar a lei

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO

TV REPÓRTER