19.02.2020 | 16h51


PODERES / PROPINA ALTA

STJ mantém 5 conselheiros do TCE afastados por mais 6 meses

No julgamento, ministros acompanharam o voto do relator Raul Araújo e pediram prazo para que Polícia Federal conclua as investigações


DA REDAÇÃO

Superior Tribunal de Justiça (STJ) nega 4 recursos e mantém 5 conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso afastados por mais 180 dias. Eles são suspeitos de envolvimento em esquema de corrupção com o ex-governador Silval Barbosa. A decisão, unânime, foi proferida na tarde desta quarta-feira (19) e atinge José Carlos Novelli, Waldir Júlio Teis, Antônio Joaquim, Walter Albano e Sérgio Ricardo de Almeida.

Os ministros seguiram o voto do relator do caso, ministro Raul Araújo. O prazo de 180 dias é para que a Polícia Federal conclua as investigações do caso.

Ao , o advogado Diógenes Curado, que faz a defesa do conselheiro afastado Waldir Júlio Teis, disse que viu injustiça na decisão.

“Foi bem decepcionante. Eu acho que não tem justiça. Tem situações ali que não têm nada e não fazem sentido. O que tinha no processo, não faz Justiça. Alegaram (ministros) a gravidade dos fatos e acham que faltam questões a serem apuradas”, disse o advogado.

Ainda conforme Curado, os próximos passos da defesa serão dados conforme o que for publicado no voto do relator. “Primeiro vamos ver a publicação do voto, depois vamos ver se vão juntar relatórios e a gente vê com base nisso o que vai fazer. Se vamos recorrer”, ressaltou.

Os 5 conselheiros estão afastados do TCE há mais de 2 anos, após a deflagração da Operação Malebolge, pela Polícia Federal, em setembro de 2017. 

O esquema foi descoberto no curso das investigações da Operação Ararath, a partir da apreensão de diversos documentos e depoimentos prestados por colaboradores, entre os quais está o ex-governador Silval Barbosa, apontado como líder de uma organização criminosa que se instalou no alto escalão do governo de Mato Grosso entre 2010 e 2014.

A delação de Silval indica que os conselheiros afastados cobraram R$ 53 milhões de propina para fazer vistas grossas durante as obras da Copa do Mundo, que teve Cuiabá como uma das sedes, em 2014. Todos negam as acusações.

 











(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

Servidores públicos   19.02.20 18h10
Que notícia boa, ufa até que enfim, tribunal de contas está sem moral, quem sabe agora com o Dr Guilherme Maluf no poder vai moralizar aquele órgão fiscalizador, fazendo corte total de todos os gastos públicos existentes assim diárias, gasolina, motorista a disposição, entre outros desperdício, estamos de olho

Responder

1
2
Glória Silva   19.02.20 17h32
Tem que fazer esses Conselheiros afastados a devolverem todo o salário recebido sem trabalhar e perder o cargo, queremos justiça ao povo Matogrossense, não podemos deixar que aconteça isso no nosso estado

Responder

4
1
Matéria(s) relacionada(s):

TV REPÓRTER

Enquete

QUARENTENA

Você é a favor de parar tudo ou só isolar grupo de risco?

Sim, parar tudo é a melhor solução para conter o vírus

Não, parada total é suicídio econômico; será o caos pior que a doença

  • Parcial

INFORME PUBLICITÁRIO