22.05.2017 | 17h30


PODERES / EFEITO JBS

STF só vai julgar recurso de Temer após perícia de áudio

Segundo o STF, o despacho de Cármen Lúcia diz que o processo só será pautado depois que o ministro Luiz Edson Fachin, relator do caso, se manifestar em despacho informando que já recebeu os laudos da perícia.



A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia, decidiu nesta segunda-feira (22) condicionar o julgamento sobre o pedido de suspensão do inquérito contra o presidente da República, Michel Temer, à conclusão da perícia no áudio da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Segundo o STF, o despacho de Cármen Lúcia diz que o processo só será pautado depois que o ministro Luiz Edson Fachin, relator do caso, se manifestar em despacho informando que já recebeu os laudos da perícia.

"A gravidade e a urgência da deliberação do tema pelo plenário conduzem-me a liberar a pauta. Quando o ministro relator avisar estar habilitado a levar a questão, o pedido será julgado em sessão que será comunicada previamente aos ministros deste tribunal", afirmou a presidente do STF.

De acordo com ela, Fachin foi responsável por condicionar a inclusão do tema em pauta. Desta forma, o julgamento da suspensão do inquérito depende "do integral cumprimento" da perícia. O áudio da conversa entre Joesley e Temer foi homologado como parte da delação premiada dos executivos da JBS, maior frigorífico do Brasil.

No último sábado, o inquérito para investigar Temer foi aberto por Fachin. No entanto, peritos afirmam que a gravação de áudio pode ter sido editada.

Veja o documento na galeria

Galeria de Fotos:
Crédito:
Crédito:










COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Repórter MT. Clique aqui para denunciar um comentário.

TV REPÓRTER

INFORME PUBLICITÁRIO